Pesquisador da Fundação MS alerta para o tempo da janela de plantio do milho safrinha no estado

Publicado em 20/01/2017 11:50 607 exibições
Confira a entrevista com André Lourenção - Pesquisador Fundação MS
Importância da pesquisa ganha cada vez mais espaço entre os produtores sul mato-grossenses. Atenção aos impactos do clima e às condições de solo, além da adoção de boas práticas de manejo das pragas será determinante para a garantia do potencial das lavouras.

Diretamente da Showtec, feira de tecnologia que ocorre em Maracaju (MS), a jornalista Fernanda Custódio, do Notícias Agrícolas, conversou com André Lourenção, pesquisador da Fundação MS.

Lourenção explica que a Fundação MS realiza um trabalho de pesquisa e difusão de tecnologias e difusão de tecnologias e organiza a feira para que mais produtores, pesquisadores e a indústria fiquem interados nos mais diversos temas do agronegócio.

Como destaque, ele aponta uma trincheira exposta no estande da Embrapa que permite a visualização da planta do solo para baixo, de modo com o qual é possível observar o enraizamento. A estrutura também chama a atenção para a importância do plantio direto, que garante boas rentabilidades para os produtores.

"O produtor trabalha em uma indústria a céu aberto. A inflência de solo e clima compõe os riscos do sistema", destaca o pesquisador. "Colocar palha e selecionar bem o que ele vai fazer é fundamental para que o produtor seja muito assertivo na produtividade".

O plantio do milho safrinha se aproxima. Logo, Lourenção também lembra que a janela é bastante pequena, indo do final de janeiro até, no máximo, 15 de março. "Se passar disso, o produtor pede três sacas por hectare por dia atrasado", diz.

Além disso, a presença do percevejo nas lavouras também é um ponto de atenção. A praga foi problema na safrinha passada e poderá ser problema novamente este ano. Logo, os produtores têm de realizar as ações preventivas e procurar consultores, além de acompanhar resultados de pesquisa, uma vez que se trata de uma praga "muito séria".

No estado do Mato Grosso do Sul, a média de produtividade do milho está em 80 sacas por hectare, número que só tem a aumentar. O investimento no solo e a mudança da época de plantio foram alguns dos fatores benéficos para este crescimento.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio e Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário