São Paulo se prepara para plantar 90 mil hectares de trigo e espera colher 300 mil toneladas

Publicado em 25/02/2019 11:37 e atualizado em 25/02/2019 15:52
604 exibições
Plantio do trigo em SP deve começar entre abril e maio e produtores esperam produção boa para aproveitar preços atrativos no mercado
Nelson Montagna - Presidente da Câmara Setorial do Trigo em São Paulo

Podcast

Entrevista com Nelson Montagna - Presidente da Câmara Setorial do Trigo em São Paulo sobre o Acompanhamento Safra de Trigo

Download

LOGO nalogo

A próxima safra de trigo já está sendo preparada pelos produtores de São Paulo. Os trabalhos de plantio devem acontecer entre os meses de abril e maio, mas as expectativas do setor já estão altas para o bom desempenho desta safra.

“Nós tivemos a nossa primeira reunião do ano, discutimos com o setor produtivo que a questão e existe a previsão de plantio de 90 mil hectares, nos quais estimamos que possa haver uma produção de até 300 mil toneladas. As perspectivas são boas, principalmente porque no estado de São Paulo conseguimos diminuir bastante o número de variedades plantadas e com isso ter um trigo mais homogêneo e de qualidade média para boa, o que se transmite em liquidez”, diz Nelson Montagna, presidente da câmara setorial do trigo em São Paulo.

Com os trabalhos de colheita devendo acontecer entre os meses de agosto e setembro, os produtores seguem acompanhando as movimentações de mercado que, pelo menos por enquanto, vem apresentando bons preços capazes de gerar lucro para a safra.

“Nos últimos anos ele vem recebendo pelo trigo valores que compensam e efetivamente geram lucro na propriedade. Como a safra ainda nem emergiu, nós temos uma incógnita de clima até julho, quando será colhida essa safra, para ver se a produção mundial vai atingir os níveis esperados. Então, fazer um prognóstico de preço mundial é bastante complicado. Com relação ao Brasil, temos ainda o dólar aqui que também é outro fator bastante difícil de prever. É um momento difícil de previsão, mas acredito que se os fatores de mercado se mantiverem vamos ter novamente um bom valor pela produção”, comenta Montagna.

Confira a íntegra da entrevista no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário