Apesar de limitadas, chuvas recentes aliviam perdas no milho safrinha de Marechal Cândido Rondon/PR,

Publicado em 17/05/2018 11:02 e atualizado em 17/05/2018 12:38
510 exibições
Preocupação maior dos produtores agora é com as lavouras que sofreram um severo acamamento após a ocorrência de fortes ventos na região. Ainda não é possível quantificar as perdas, mas agricultores já torcem para que não chova na colheita. Média de preços na região na casa de R$ 31,50/saca.
Valdemar Eduardo Kaiser - Presidente do Sindicato Rural de Marechal Cândido Rondon - PR

Podcast

Acompanhamento safra do milho safrinha

Download

LOGO nalogo

Após 40 dias de estiagem na região de Marechal Cândido Rondon/PR, as chuvas voltaram e trouxeram um alivio para as lavouras de milho safrinha. Além das precipitações, as áreas cultivadas mais tarde foram penalizadas com acamamento do milho em função dos ventos fortes.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Valdemar Eduardo Kaiser, se não chover durante a colheita não vai ter tanto prejuízo, mas se tiver precipitações à perda pode ser ainda maior. “Acredito que não temos como recuperar. No período de colheita precisa ter sol para esse milho acamado não se deteriorar”, afirma.

No entanto, muitos agricultores já estão fazendo o planejamento e comprando os insumos para a próxima safra de verão. “Assim como os produtores estão fechando negócios, também estão comprando os produtos para a temporada do próximo ano de soja e milho”, destaca.  

Ainda segundo a liderança, durante o mês de maio está ocorrendo à maioria das compras, mas com a alta do dólar nas últimas semanas comprar os defensivos é bem viável ao produtor. “No meu caso, eu fiz a troca e achei que o valor estava mais acessível”, ressalta.   

Comercialização

Até o momento, as referências para o milho na localidade estão ao redor de R$ 31,50 a saca. No entanto, os produtores maiores fizeram comercializações futuras, mas os pequenos agricultores ainda não fecharam negócios. Já na soja, os preços da saca estão em torno de R$ 75,50 que remunera os produtores.  

Por: Carla Mendes e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário