Após quebra de 8/10% na soja, Chapadão do Sul espera volta das chuvas para ter boa safrinha de milho

Publicado em 01/04/2019 11:08 e atualizado em 01/04/2019 16:08
441 exibições
Região está há 10 dias sem chuvas, mas precipitações são esperadas essa semana para desenvolver milho safrinha que deve ser colhido em junho. Preços de momento são razoáveis para cobrir os custos.
Lauri DalBosco - Presidente do Sindicato Rural de Chapadão do Sul/MS

LOGO nalogo

Os produtores de Chapadão do Sul no Mato Grosso do Sul conseguiram realizar o plantio das safrinhas, tento de algodão como de milho, dentro das melhores janelas de cultivo para a região. Agora, a expectativa é pelas boas chuvas para desenvolver as lavouras até a época da colheita, que deve acontecer a partir de junho para o milho safrinha.

“O milho safrinha vinha se desenvolvendo normal com um período muito bom de chuvas em fevereiro e meados de março, mas agora deu uma cortada, faz uns sete dias que não chove e esperamos chuvas para essa semana que iria melhorar essa tendência de produção por hectare do milho”, diz Lauri dal Bosco, presidente do Sindicato Rural de Chapadão do Sul/MS.

Os preços de venda do milho giram entre 24 e 26 reais no momento, um patamar razoável para cobrir os custos. Com isso, uma boa produção na safrinha é essencial para que os produtores sul-mato-grossenses consigam fechar as contas nesse ano agrícola, ainda mais levando-se em conta que a safra de soja não foi das mais satisfatórias no município.

“Com as chuvas de fevereiro e março nós achamos que a soja iria produzir muito forte, mas agora estamos vendo que não é bem assim. Estamos com uma quebra, esperávamos 63/65 sacas e alguns colheram 55. Ainda estamos fechando esses números nessa semana, mas devemos sim ter uma quebra do ano passado”, diz dal Bosco.

Confira a íntegra da entrevista no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário