HOME VÍDEOS NOTÍCIAS METEOROLOGIA FOTOS

São Paulo vai colher 30% mais milho em 2022 do que em 2021, mesmo assim produção é insuficiente para a demanda

Publicado em 05/08/2022 15:58
Maximiliano Miura e José da Silva - Pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA)
Paulistas consomem cerca de 8 milhões de toneladas anualmente e precisam buscar metade disso em outros estados

Podcast

São Paulo vai colher 30% mais milho em 2022 do que em 2021, mesmo assim produção é insuficiente para a demanda

Logotipo Notícias Agrícolas

Produção paulista de milho deve chegar a 4,8 milhões de toneladas em 2022, valor 30% superior ao do ano passado

A produção paulista de milho deve chegar a 4,8 milhões de toneladas em 2022, número 30,1% superior a produção do ano anterior. A expectativa é que a produtividade média das lavouras paulistas atinja 5,9 mil kg por hectare, índice 21,4% maior do que a produtividade observada em 2021. Os dados são do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Segundo o pesquisador do IEA, Maximiliano Miura, a melhora da produção paulista de milho se deve ao desempenho da segu nda safra, já que a semeadura realizada até a primeira quinzena em janeiro e as chuvas moderadas na época do desenvolvimento da gramínea impactaram positivamente a cultura, permitindo alavancagem do suprimento para o sistema agroindustrial do milho. "No levantamento da previsão e estimativas de safras agrícolas do estado de São Paulo, em abril, a produção paulista do milho segunda safra (estimada em 2,6 milhões de toneladas) já registrava aumento de 64,0% em relação ao ano anterior", afirma.

Com o resultado do desempenho de ambas as safras, acrescido do estoque de milho ainda existente (530.900 toneladas), estima-se que a quantidade de milho disponível para abastecer o mercado doméstico esteja na ordem de 5,3 milhões de toneladas, o que representa aumento de 24,9% em relação ao ano passado.

"Com essa maior disponibilidade interna, estima-se que São Paulo fique menos dependente das aquis ições provenientes de outros estados e que, portanto, as importações interestaduais recuem 21,2%", afirma o pesquisador do IEA.

De acordo com Miura, uma vez que os estoques iniciais estão mais baixos em 2022 do que no ano passado, é possível notar a redução das importações paulistas decorre principalmente pelo bom desempenho da segunda safra e pela estabilidade da demanda por milho, que se situa em 8,42 milhões de toneladas. A expectativa é de que a demanda paulista por milho, em 2022, mantenha-se praticamente estável, com relação ao ano anterior. O artigo completo sobre o assunto pode ser acessado clicando aqui.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • DIOGO SABIAO Araçatuba - SP

    Lavouras derretendo em cigarrinha, aumento de áreas de sorgo e soltam uma estimativa furada dessas, é pra acabar mesmo!

    0