Em Querência (MT), produtores de soja aguardam consolidação das chuvas para o plantio da safra 2016/17

Publicado em 03/10/2016 10:52 e atualizado em 03/10/2016 12:04
333 exibições
Somente os que receberam chuvas próximas de 100 mm iniciaram os trabalhos nos campos. Previsões climáticas indicam precipitações mais regulares a partir da próxima semana na região. Cerca de 30% da safra já foi negociada antecipadamente, mas produtores estão focados na semeadura do grão nesse instante.

Aguardando chuvas regulares, os produtores de soja de Querência (MT) esperam para iniciar o plantio da safra 2016/17.

Conforme explica o vice-presidente do sindicato rural, Osmar Frizzo, as precipitações vêm ocorrendo a pelo menos um mês, mas não foram suficientes para dar condições de plantio.

Somente em algumas propriedades que receberam chuvas acima de 100 mm os trabalhos de campo foram iniciados.

Ainda dentro da janela ideal, os agricultores aguardam a consolidação das previsões em outubro. Segundo Frizzo há "indicação de que ela [chuvas] se regularize a partir da semana que vem."

O vice-presidente ressalta, no entanto, que "além da necessidade do nível de umidade, o produtor precisa de uma perspectiva de mais chuvas à frente para realmente realizar a semeadura."

De acordo com as previsões da Climatempo, uma área de instabilidade associadas a sistemas de baixa pressão devem favorecer a ocorrência de chuva volumosas [superiores a 100 mm] sobre a região Centro-Oeste, entre os dias 03 a 17 de outubro.

Segundo Frizzo, em se confirmando esse cenário o plantio na região deve iniciar com força a partir desta semana.

Preço

Mais cautelosos após os problemas enfrentados na safra anterior, os produtores desaceleraram o ritmo das comercializações antecipadas. De acordo com Frizzo cerca de 20% a 30% da safra está fixada.

Os contratos foram realizados, em sua maioria, quando a cotação da soja estava em alta. "Hoje os preços não estão mais atrativos para a fixação", acrescenta o vice-presidente afirmando que os produtores estão voltados ao trabalho de campo, deixando a comercialização em segundo plano neste momento.

Custos

Também com consequência das perdas na safra 2015/16, os agricultores tiveram dificuldade de financiamento para essa temporada. Porém, Frizzo afirma que os produtores não irão reduzir os investimentos.

"A consequência maior será na safrinha de milho", alerta Frizzo.

Por: Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário