Soja tem novo dia de baixas intensas em Chicago com mais chuvas chegando ao Meio-Oeste e pressão também do dólar

Publicado em 15/08/2017 16:51 e atualizado em 16/08/2017 09:39
6576 exibições
Boas condições de clima nos EUA nas próximas semanas no Corn Belt podem garantir alcance do potencial produtivo da soja e pressão sobre as cotações ainda pode continuar. Produtor brasileiro deve estar atento à esse cenário, ao câmbio e resistência dos preços aos seus patamares de suporte.
Confira a entrevista com Adriano Gomes - Analista da AgRural

LOGO nalogo

O mercado de soja voltou a recuar na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta terça-feira (15), com quedas de dois dígitos nos principais vencimentos.

Adriano Gomes, analista de mercado da AgRural, destaca que o mercado vem digerindo os números divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) na semana passada, apontando produção recorde para a safra norte-americana. Além disso, o clima para o Meio-Oeste americano se apresentou com boas chuvas na primeira quinzena de agosto, indicando uma recuperação para as lavouras - Iowa, que vinha sofrendo com a seca, está entre as áreas que receberam boas chuvas.

Há, ainda, previsão de chuvas para os próximos dias. O mercado observa esse clima mais favorável no mês decisivo para a produção de soja e se mantêm pressionado.

A AgRural esteve no Meio Oeste americano, observando as lavouras do Meio Oeste e pode observar que as lavouras de soja tinham um bom potencial produtivo e que não deveriam apresentar uma queda na produtividade como vinha sendo previsto.

Para o milho, houveram alguns problemas pontuais de falta de chuva e de polinização que se refletem em fatores como falhas na ponteira da espiga. Porém, os problemas não são graves - as lavouras de milho também apresentam um bom potencial. Neste momento, é possível apontar que há problemas apenas pontuais nos Estados Unidos.

Na avaliação da AgRural, os 119 milhões de toneladas previstos pelo USDA podem ser alcançados caso as chuvas perdurarem durante o mês de agosto e houver falta de geadas no mês de setembro.

Chicago devolveu todo o ganho que teve no rally de alta durante o mês de julho. Assim, os preços de hoje ficam semelhantes aos preços de junho, quando não havia grandes preocupações com o clima.

Neste período do ano, o clima é a maior influência na formação de preços na CBOT, mas outros fatores também influenciam nas cotações. Há uma queda de preços generalizada nas commodities e uma valorização da moeda norte-americana frente ao real, além de uma alta do Dólar Index.

Para o produtor brasileiro, Gomes destaca que é importante que haja um método de comercialização, já que o mercado de soja é "um dos mais complexos que a gente tem", detalha o analista.

A partir do comportamento dos preços das últimas semanas, o produtor brasileiro deve ficar bem atento às notícias de clima no Meio Oeste americano e também se o mercado irá resistir à mínima do ano, anotada em US$9,07/bushel em 23 de junho.

Ele observa que a maioria dos produtores já fechou a sua compra de insumos para a próxima safra e começa a querer iniciar seu plantio, respeitando o vazio sanitário.

Por: Carla Mendes e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Waldir Domingues Lopes Júnior Nova mutum - MT

    O céu é o limite quando se trata de ganhos, o chão é o limite quando se trata de perdas, esse ano é ano de ir para a lona! Soja não recupera mercado interno todo as abastecido desde março, exportação encerradas em junho/ julho agora é amargar essas realidades.

    Milho tendência de queda muito acentuada a partir de setembro, MT na faixa dos 10.00 reais GO e MG entre 15 e 18.00 reais!

    Dólar baixo!

    Consumo em queda livre! Somado a super produção, produção americana satisfatória não tem para onde correr.

    1
  • Lucas Antônio mori Paiçandu - PR

    Esta difícil de aparecer uma luz no fim do túnel para o produtor, a especulação nessa chuva milagrosa dos americanos vai manter as cotações para baixo!

    1
    • antonio carlos de souza cornélio procópio - PR

      AS PLANTAS MOSTRADAS, PES PEQUENOS VAGENS POUCAS , TINHA LAVOURAS PIORES , MOSTRADAS COM MELHORA DO DIA PARA NOITE ... ESTA PRODUÇÃO IMPOSSIVEL????

      0
    • Genivaldo M da Cruz araputanga - MT

      Quem sabe essa agencia nao esta correta??? os numeros falam... https://youtu.be/BCP1_FUBw7Y

      2