Com plantio praticamente finalizado, Oeste da Bahia terá área menor de soja

Publicado em 07/12/2018 11:11 e atualizado em 07/12/2018 14:57
1090 exibições
Queda na soja vem acompanhada do aumento da área plantada de algodão, que será 25% maior em relação a última safra.
Carminha Missio - Presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA

Podcast

Entrevista com Carminha Missio sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

O plantio de soja na região de Luís Eduardo Magalhães na Bahia começou com 15 dias de antecedência em relação ao comumente praticado na cidade. As chuvas volumosas na região propiciaram esse adiantamento e vêm ajudando a lavoura a se desenvolver da melhor maneira possível.

“Já há alguns anos nós sonhávamos em ter um plantio em tempo hábil como esse ano, que aconteceu com 15 dias de antecipação devido as chuvas que chegaram mais cedo. A plantação está praticamente 100% finalizada e a lavoura de soja está com um padrão muito bom. Se tudo se mantiver assim, provavelmente vamos ter uma safra no padrão do ano passado que foi 57 sacas por hectare na Bahia, talvez um pouco mais até”, diz Carminha Missio, presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães.

A produção só não será maior na região porque a área plantada de soja diminuiu em comparação à safra 2017/18. Cerca de 60 mil hectares antes destinados ao plantio da oleaginosa foram substituídos pelo cultivo de algodão, que registrou aumento de 25% de área plantada. De acordo com a análise do sindicato, essa movimentação se dá, principalmente, pela perspectiva maior de lucro desta cultura.

“É basicamente o preço nos últimos anos refletindo a melhora do preço do algodão. Também para fazer o manejo de lavouras que é necessário entre soja, milho e algodão. O milho teve problemas com pragas no ano passado e o preço dele caiu também. São vários fatores que levam o produtos a migrar de uma cultura para outra, mas especificadamente no caso do algodão foi o aumento do preço da arroba que ajudou muito e trouxe os produtores para investir mais nessa cultura”, afirma Missio.

Milho

A lavoura de milho em Luís Eduardo Magalhães também está se encaminhando para o fim. Após enfrentar problemas com doenças na safra passada, os produtores locais estão otimistas com o bom desenvolvimento das plantas. “Alguns produtores deixaram para fazer o plantio um pouco depois devido as condições climáticas, mas a lavoura de milho está praticamente finalizada, faltando apenas cerca de 15 a 20% para plantio. O desenvolvimento das plantas está bom e há uma preocupação grande dos produtores com a cigarrinha e com esses cuidados necessários nesse momento para evitar pragas e doenças”, conta Carminha.

Veja mais sobre o aumento do cultivo de algodão na Bahia:

>> Com bons rendimentos e preços favoráveis, área com algodão cresce 25% na safra 2018/19 na Bahia

 

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário