Chuvas manchadas tiram produtividade no Oeste da Bahia; Temor de veranico preocupa o Matopiba

Publicado em 07/01/2019 10:22 e atualizado em 07/01/2019 11:25
1802 exibições
Acompanhamento de Safra da Soja no Oeste da Bahia mostra que a excepcional produtividade do ano passado, de 63 sacas (média) não será alcançada neste ano. São 4 os motivos, saiba na entrevista com Celito Eduardo Breda - Diretor da ABAPA
Celito Eduardo Breda - Diretor da ABAPA

Podcast

Acompanhamento de Safra da Soja - Celito Eduardo Breda - Diretor da ABAPA

Download

 

LOGO nalogo

O diretor da ABAPA, Celito Eduardo Breda, conversou com o Notícias Agrícolas nesta segunda-feira (07) e destacou o desenvolvimento da safra de soja na região do Matopiba, em especial, no oeste da Bahia, onde a soja foi plantada em 15 dias em relação ao ano passado.

Boa parte das fazendas dessa região estão sem perfil da umidade, correndo o risco de perder o potencial. A última chuva de grande expressão foi no dia 8 de dezembro. Depois disso, algumas áreas receberam volumes e outras, não, deixando tudo muito manchado.

Entretanto, se as chuvas vierem logo, os problemas não devem ser expressivos. Se demorarem mais de 10 dias, o problema pode chegar a ser semelhante ao do Paraná, com áreas com menos de 40 sacas por hectare. A média histórica é de 53 sacas por hectare.

A área, por sua vez, deve ser próxima de 1 milhão e 580 hectares, devido ao aumento da área de algodão. O milho se manteve entre 140 a 150 mil hectares - pouco milho é plantado no oeste da Bahia.

O objetivo, segundo Breda, é ter uma boa correção de perfil de solo e "segurar as pontas". Embora a região ainda não tenha enfrentado o aparecimento da ferrugem asiática, as chances chegam a mais de 50%. Ainda há um temor por conta de um veranico, já que o plantio foi realizado mais cedo.

Aos produtores, ele recomenda que haja um maior esforço para a realização da rotação de culturas e que, embora as condições sejam adversas, ele recomenda também a não desanimar.

Por: João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário