Cascavel/PR vai precisar replantar 22% da área já semeada com soja e falta de água já impacta outros setores

Publicado em 16/10/2019 12:07
5545 exibições
Rebanhos animais tem pouca água disponível para consumo e industrias da região podem parar caso as precipitações não cheguem. Sindicato Rural recomenda cautela para semear e fechar negócios futuros, uma vez que prazos de entrega podem não serem cumpridos.
Modesto Félix Daga - Diretor do Sindicato Rural de Cascavel/PR

Podcast

Cascavel/PR vai precisar replantar 22% da área já semeada com soja e falta de água já impacta outros setores

Download

LOGO nalogo

Os produtores de Cascavel no Paraná enfrentam extremas dificuldades para dar seguimento à safra de soja 2019/20. Até o momento, apenas 65% da área já foi semeada e 22% dela certamente terá que ser replantada, uma vez que a falta de chuvas impossibilitou a germinação e emersão das sementes.

Segundo o diretor do Sindicato Rural de Cascavel/PR, Modesto Félix Daga, a busca por novas sementes e insumos para os replantios já está acontecendo, mas ainda não é possível concluir os trabalhos devido à falta de chuvas, que já impacta no abastecimento dos rebanhos animais e ameaça fechar industrias da região.

Diante disso, Daga recomenda cautela ao produtor e aconselha para que o restante da semeadura só aconteça após a confirmação das precipitações e o solo obter a umidade necessária.

Como a janela ideal para o cultivo da soja vai até o final de novembro, as preocupações ficam por conta do aumento nos custos de produção e das perspectivas para a segunda safra de milho em 2020, que já teve sua janela de plantio prejudicada.

Outra ação em que o produtor deve ter cuidado neste momento é com a comercialização e o fechamento de vendas futuras. Isso porque, as oportunidades que surgem na região são para entrega da soja em fevereiro, e de acordo com o diretor, não é possível garantir que as lavouras já vão estar finalizadas dentro deste prazo.

Confira a íntegra da entrevista com o diretor do Sindicato Rural de Cascavel/PR no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário