Com a quebra na safra de soja e um ritmo forte das exportações do grão nos EUA, cenário para preços se torna positivo para 2020

Publicado em 03/12/2019 17:19
2640 exibições
Apesar da pressão negativa nos preços em função da guerra comercial, cenário em 2020 é favorável para soja, principalmente se estoques finais recuarem para menos de 10 milhões de toneladas
Camilo Motter - Granoeste Corretora de Cereais

Podcast

Fechamento de Mercado da Soja - Entrevista com Camilo Motter - Granoeste Corretora de Cereais

Download

LOGO nalogo

Ao longo desta terça-feira (03), a soja trabalhou em campo positivo, chegando a 5 pontos de ganho, mas fechou o dia em estabilidade. Dessa forma, o mercado demonstra um ajuste técnico após oito quedas consecutivas da commodity. Ainda no radar dos investidores está a guerra comercial entre EUA e China, já que o presidente americano Donald Trump se mostra irredutível em conseguir um acordo que o agrade.

>> EUA mantém plano de elevar tarifas sobre produtos da China neste 15 de dezembro

Porém, para o analista Camilo Motter, da Granoeste Corretora de Cereais, não há muito espaço para que a soja caia ainda mais. Ele reforça que, com a quebra da safra americana e o bom ritmo de exportações do país, os estoques finais na safra 19/20 devem ficar em cerca de 10 milhões de toneladas.

Com o impasse, demanda chinesa tem se estacionado no Brasil, comprando a soja que ainda há disponível. Em novembro, o país exportou entra 4 e 5 milhões de toneladas e deve chegar a um acumulado de 74 / 75 milhões de soja exportadas ao longo do ano. No entanto, os preços reduziram entre 4% e 5% nos últimos dias por causa das quedas em Chicago e o recuo do câmbio, que fechou o dia em R$ 4,20. 

Em algumas praças do interior do país, as perdas ultrapassaram os 2%. Em Ponta Grossa, no Paraná, perda de 2,30% para R$ 85,00 por saca, e em Sorriso, Mato Grosso, baixa de 2,74% para fechar com R$ 71,00. Nas demais regiões, os indicativos também caíram, enquanto nos portos as cotações se mantiveram estáveis. 

Em Rio Grande, R$ 86,30 no disponível e R$ 86,50 para a safra nova; em Paranaguá, os valores ficaram em, respectivamente, R$ 87,00 e R$ 86,00 por saca. 

Por:
Aleksander Horta e Ericson Cunha
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário