Governador de Roraima fala sobre o começo da safra 2020 no estado

Publicado em 05/05/2020 17:17 e atualizado em 06/05/2020 10:16 1812 exibições
Antônio Denarium - Governador de Roraima
Entrevista com Antônio Denarium - Governador de Roraima sobre o começo da safra em Roraima

Podcast

Entrevista com Antônio Denarium - Governador de Roraima sobre o começo da safra em Roraima

Download

LOGO nalogo

Em entrevista ao site Notícias Agrícolas, o governador de Roraima, Antônio Denarium (PSL) falou sobre o início do plantio da soja no estado. Ao contrário do restante do Brasil, Roraima tem o calendário da safra de soja com início entre abril e maio, o que possibilita a colheita da safra ainda em 2020. "Nosso calendário é o mesmo do americano, nós trabalhamos a soja durante a entressafra brasileira", explicou o governador.

Além da soja, que ocupa uma área de 50 mil hectares, outros cultivos de destaque no estado são o milho e o arroz, com 15 e 12 mil hectares, respectivamente. "A topografia plana, as chuvas bem definidas e a luminosidade de 12 horas por dia permitem que a soja seja colhida em 90 dias. Os outros cultivos também possuem grande produtividade, contando com tecnologias de ponta e incentivos do estado", complementou.

De acordo com Denarium, Riraima possui cerca de 2 milhões de hectares disponíveis para o cultivo, sendo que o custo por hectare é competitivo quando comparado à outras regiões do Brasil. "O custo por hectare é de 50 sacas de soja, enquanto que em estados do centro-sul o hectare vale 500 sacas. Além disso, há uma vantagem logística, já que o escoamento de nossa safra é via porto de Manaus", disse.

Senado aprova transferência de terras da União para RR e AP

 

O Senado aprovou hoje (5) um projeto de lei que facilita a transferência definitiva para os estados de Roraima e do Amapá de terras pertencentes à União. O tema era resultado de uma medida provisória (MP), que expirou sem ser votada. Após acordo entre parlamentares, foi elaborado um PL, na semana passada. Com a aprovação entre os senadores, o texto segue para sanção presidencial.

O texto prevê que as terras transferidas aos estados de Roraima e do Amapá deverão ser preferencialmente utilizadas em atividades agropecuárias diversificadas; de desenvolvimento sustentável, de natureza agrícola ou não, e projetos de colonização e regularização fundiária. Para o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o projeto trará autonomia a esses estados.

Com essa regularização vamos devolver aos estados a sua autonomia, para que possam desenvolver atividades econômicas fundamentais. Aí sim, Amapá e Roraima vão se agigantar entre os estados brasileiros, disse Rodrigues.

Telmário Mota (PROS-RR) disse que esse projeto é o mais importante de seu mandato. Ele acrescentou que mais de 65% do território de Roraima são comprometidos com áreas indígenas, ambientais e militares. De acordo com Messias de Jesus (Republicanos-RR), essas áreas ficam excluídas da transferência disposta no projeto. Essa transferência libera áreas para produtores agrícolas, possibilitando a concessão de títulos definitivos de propriedade para o setor produtivo.

Contratos de ministério

O Senado também aprovou hoje a MP que prorroga por até um ano contratos temporários no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Trata-se de contratos de nove servidores da área de tecnologia da informação e comunicação da pasta.

Os servidores foram contratados em 2015 e teriam o vínculo extinto até 15 de maio de 2020. Eles são responsáveis pela gestão de 17 contratos e pela manutenção de 48 sistemas de informações. Segundo o Poder Executivo, o desligamento dos servidores poderia comprometer a execução de programas estratégicos, como o Plano Safra.

Por Agência Brasil

* com informações da Agência Senado

Por:
João Batista Olivi e Ericson Cunha
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário