HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Cana: Estiagem prolongada deve derrubar moagem no PR entre 6% a 10% em 21/22

Publicado em 21/06/2021 16:27 e atualizado em 21/06/2021 17:09 510 exibições
Miguel Tranin - Presidente da Alcopar
Apesar de chuvas recentes em algumas áreas, cenário de perdas não deve ser revertido; estado enfrenta clima adverso há alguns anos e a chegada do frio também está no radar

Podcast

Entrevista com Miguel Tranin - Presidente da Alcopar sobre a Safra da Cana-de-Açúcar no PR

Download
 

LOGO nalogo

​A safra 2021/22 de cana-de-açúcar no estado do Paraná deve ser marcada por perdas na moagem entre 6% a 10% ante a última temporada, com cerca de 30 milhões de toneladas, diante de estiagem prolongada e mesmo com chuvas recentes sem potencial de muitas mudanças, segundo projeções da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar).

“Aqui no Paraná, já é o terceiro ano que temos menos chuva e uma má distribuição delas... Esse ano não foi diferente, nós tivemos poucas precipitações mesmo no verão, período de crescimento da cana, e chegamos a ter mais de 90 dias sem chuvas em algumas áreas em um período de começo de safra”, destaca Miguel Tranin, presidente da Alcopar.

Diante desse cenário climático adverso, mesmo com renovações de canaviais por partes das indústrias, a expectativa da Alcopar para a safra 2021/22 é de uma moagem de cana em cerca de 30 milhões de t, com perdas ante a temporada anterior de 6% até 10%. O estado até recebeu chuvas nos últimos dias, mas sem potencial de reversão dos danos.

“Dificilmente, as chuvas apresentem reversão, na sua totalidade. O Paraná tem particularidades regionais e até por isso as chuvas não foram uniformes... A questão também é que chegamos ao inverno e com o clima mais frio não há o desenvolvimento da mesma forma que há no verão. Então, dificilmente eu vejo nesse período a possibilidade de recuperação”, pontua Tranin.

Diante das recentes precipitações em áreas produtoras do estado do Paraná, a Alcopar está atualizando com as unidades produtoras os números da nova safra para verificar se há algum potencial de ajuste ante os números esperados anteriormente, de perdas de até 10% na moagem de cana-de-açúcar e produção de açúcar e etanol.

O mix no estado é mais açucareiro (60%), com foco no VHP, inclusive com mais de 80% da produção destinada exportação. A produção de açúcar no estado é estimada para a nova temporada em cerca 2,5 milhões de t de açúcar e 1,2 bilhões de litros de etanol (hidratado e anidro).

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário