Café: Incertezas na economia levam operadores de mercado a um crescente pessimismo

Publicado em 01/06/2012 17:43 1146 exibições
Tivemos mais uma semana de fortes baixas nas bolsas de futuro. Os contratos de café na ICE
Futures US em Nova Iorque, ainda o principal termômetro do mercado de café, caíram todos os dias, com exceção da segunda feira, quando a ICE não operou devido ao feriado do “Memorial Day”.

As incertezas quanto aos rumos da economia, com o agravamento da crise na zona do euro, levam
os operadores de mercado a um crescente pessimismo e a busca por segurança, derrubando semana após semana as bolsas ao redor do mundo.

A indefinição do quadro eleitoral grego e a crescente dificuldade para a permanência do país na
zona do euro trouxe a crise da Grécia novamente para o primeiro plano e fez crescer o medo de contágio sobre as economias da Espanha e Itália. A piora do quadro levou o dólar a se fortalecer em relação às principais moedas do mundo.

Com a crise econômica dominando o cenário mundial, os fundamentos sobre o mercado de café
ficam em segundo plano e nenhuma análise ou notícia sobre produção e consumo tem força suficiente para se contrapor ao comportamento de manada dos operadores. As cotações do café nas bolsas de futuro acabam quase sempre acompanhando as das demais commodities.

O IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou queda de 8,5% no Produto
Interno Bruto da agropecuária no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Os preços praticados no mercado físico brasileiro de café levam a uma queda no volume de
negócios realizados e os cafeicultores a direcionarem suas atenções para os trabalhos de colheita e
preparo da nova safra 2012/2013. A aproximação do período de inverno também é um fator que predispõe o produtor a agir com a máxima cautela possível.

Até o dia 31, os embarques estavam em 1.489.376 sacas de café arábica e 80.652 sacas de café
conillon, somando 1.570.028 sacas de café verde, mais 241.604 sacas de café solúvel, contra 1.811.632 sacas no mesmo dia de abril. Até o dia 31, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em maio totalizavam 2.154.729 sacas, contra 2.289.979 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 25, sexta-feira, até o fechamento de hoje,
sexta-feira, dia 1, caiu nos contratos para entrega em setembro próximo, 1040 pontos ou US$ 13,76 (R$ 28,05) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em setembro próximo na ICE fecharam no dia 25 a R$ 449,96/saca e hoje, dia 1, a R$ 431,78/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em setembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 310 pontos. No mercado calmo de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2011/2012, condição porta de armazém:

R$390/400,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$380/390,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$370/380,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$350/360,00 - RIADOS.
R$330/340,00 - RIO.
R$330/340,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$320/330,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.
Os cafés cereja descascado (CD) bem preparados, valem R$ 390,00/400,00 por saca.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário