CAFÉ: Produtores recusam ofertas mais baixas e se retiram do mercado

Publicado em 11/10/2012 18:12 e atualizado em 15/10/2012 08:44 970 exibições
Nesta semana mais curta no Brasil devido ao feriado de amanhã, em homenagem à Padroeira do Brasil, o mercado físico brasileiro de café apresentou-se calmo, com um volume pequeno de negócios fechados.

As bolsas de futuro trabalharam em baixa e como tem acontecido com frequência desde o início do ano-safra em julho, a maioria dos cafeicultores recusou ofertas mais baixas para seus lotes e se retirou do mercado.

A queda desta semana nas bolsas foi baseada na abertura da florada nos cafezais brasileiros. Como dissemos em nosso último boletim, as floradas abrem todos os anos nesta época, é um fato corriqueiro e não indica uma safra com volume acima do projetado pelos agrônomos para o próximo ano.

O CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil divulgou os embarques brasileiros de café em setembro último. Foram embarcadas 2,22 milhões de sacas, 24% menos que em setembro de 2011. Imediatamente surgiram análises dizendo que os produtores brasileiros estão retendo café. Não nos parece que tal fato esteja ocorrendo. Se somarmos as 2,22 milhões de sacas exportadas com as aproximadamente 1,6 milhões de sacas utilizadas para abastecer o consumo interno, teremos 3,82 milhões de sacas comercializadas no último mês e 11,75 milhões em três meses, desde primeiro de julho, início do ano-safra 2012/2013.

Em nossa opinião, o que está acontecendo é que nossos cafeicultores se recusam a vender nos dias em que as ofertas no mercado físico são rebaixadas por factóides lançados por fundos e especuladores interessados em um rápido sobe e desce das cotações nas bolsas de futuro.

Com os baixos estoques remanescentes tanto nos países produtores como consumidores, a produção e consumo mundial em um precário equilíbrio e financiamentos a disposição, os produtores brasileiros acreditam no mercado e fazem suas vendas com calma nas semanas em que o mercado futuro apresenta movimentos de alta, saindo do mercado nas semanas com cotações em baixa.

Outro factóide lançado nos últimos dias é que os armazéns estão cheios de café. Não poderia ser diferente nesta época do ano. Eles serão esvaziados ao longo do ano-safra para atender nossas exportações e o consumo interno brasileiro.

Não consideramos altos os atuais preços praticados no mercado físico brasileiro de café. O problema é querer compará-los com preços médios históricos, sem considerar a desvalorização do dólar no mesmo período e também o forte crescimento dos custos de produção.

O CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil, informou que no último mês de setembro foram embarcadas 2.222.799 de sacas de 60 kg de café, aproximadamente 24,3.% (713.284 sacas) a menos que no mesmo mês de 2011 e 14,3% (373.067 sacas) menos que no último mês de agosto. Foram 1.862.254 sacas de café arábica e 80.039 sacas de café conillon, totalizando 1.942.293 sacas de café verde, que somadas a 277.388 sacas de solúvel e 3.118 sacas de torrado, totalizaram 2.222.799 sacas de café embarcadas.

A queda maior aconteceu no embarque de conillon, 36% menos em relação a setembro de 2011 e 35% menos quando comparado a agosto de 2012. Os de arábica recuaram 22% em relação a setembro de 2011 e 8% em relação a agosto último.

Até o dia 10 os embarques de outubro estavam em 351.161 sacas de café arábica e 7680 sacas de café conillon, somando 358.841 sacas de café verde, mais 34.920 sacas de café solúvel, contra 422.175 sacas no mesmo dia de setembro. Até o dia 10, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em outubro totalizavam 778.767 sacas, contra 778.250 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 5, sexta-feira, até o fechamento de hoje, quinta-feira, dia 11, caiu nos contratos para entrega em dezembro próximo, 735 pontos ou US$ 9.73 ( R$ 19,84 ) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em dezembro próximo na ICE fecharam no dia 58 a R$ 450,95/saca e hoje, dia 11 a R$ 433,15/saca. Hoje, quinta-feira, nos contratos para entrega em dezembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 270 pontos. No mercado paralisado de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém:

R$400/420,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$390/400,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$380/390,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$370/380,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$360/370,00 - RIADOS.
R$330/340,00 - RIO.
R$340/350,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$320/330,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

DÓLAR COMERCIAL DE QUINTA-FEIRA: R$ 2,039 PARA COMPRA.
Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário