HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Recuo nos preços do leite pago ao produtor em outubro, por Scot Consultoria

Publicado em 08/11/2019 09:04 52 exibições
Por Rafael Ribeiro de Lima

O mercado do leite registrou quedas ao produtor no pagamento realizado em outubro (produção de setembro), depois do cenário mais firme no mês anterior.

Considerando a média nacional dos dezoito estados pesquisados pela Scot Consultoria, o recuo foi de 0,6% e o produtor recebeu, em média, R$1,193 por litro, sem o frete, considerando o leite padrão.

O preço médio com bonificações por qualidade ficou em R$1,565 por litro, queda de 0,8%, em relação ao pagamento anterior.

Destacamos a pressão de baixa no mercado interno com a oferta de leite maior nos últimos meses, entretanto, as quedas verificadas nos preços pagos aos produtores têm sido mais amenas, frente à média histórica para o período.

Isto porque, os incrementos na produção têm sido menores, devido aos atrasos nas chuvas que afetaram a retomada do capim e também em função dos cortes na alimentação por parte de alguns produtores, com as quedas no preço do leite, que afetam a produção e mantém certa concorrência entre as indústrias.

Segundo o Índice de Captação da Scot Consultoria, em setembro o volume captado (média nacional) aumentou 0,7% e os dados parciais de outubro apontam para incremento de 1,5% na comparação mensal.

Para uma comparação, em outubro de 2018, a produção nacional cresceu 3,9%, segundo o indicador.

Para o pagamento a ser realizado em novembro, que remunera a produção entregue em outubro, 67% dos laticínios pesquisados pela Scot Consultoria acreditam em manutenção das cotações, 23% falam em queda e os 10% restantes estimam alta (todos na região Nordeste).

Ou seja, uma parcela grande das indústrias estima um cenário ainda concorrido pela matéria-prima em curto prazo, o que poderá limitar as quedas no preço do leite ao produtor ou até mesmo trabalhar em um ambiente mais estável no pagamento seguinte.

Vai depender de como virá a produção daqui para a frente e também como reagirá a demanda em novembro.

Fonte:
Scot Consultoria

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário