Tejon lança, nesta sexta-feira (10) em Santos, O Código da Superação!

Publicado em 09/08/2012 11:03 381 exibições
O escritor José Luiz Tejon Megido lança sua quarta obra existencial, com o objetivo de levar os leitores além de suas próprias superações.
Como descobrir os códigos superantes e ir além da conquista

O Código da Superação – Uma fascinante jornada além da conquista, será lançado em Santos, no próximo dia 9 de agosto, na Petit Verdot. "Devo grande parte da minha experiência bem sucedida de superação à comunidade santista e a cidade de Santos dos anos 50, 60 e 70", diz orgulhoso. O livro não poderia ser mais um contando histórias de superação. José Luiz Tejon Megido foi buscar conteúdo para dar passos além do dramático e eterno tema da superação humana em vida. Tejon é um prático na arte da superação, tanto por sua própria história de vida pessoal, como profissional.

Já citado em livros internacionais, entrevistas e com notório renome, Tejon é por filosofia de vida um “existencialista” e somente se permite escrever, falar e teorizar sobre aquilo que viveu e o que vive na realidade concreta do planeta. Ademais, Tejon traz para sua vida aquilo que busca ensinar: “o maior segredo do viver é aprender a aprender.”

Por isso ele se dedica ao estudo profundo da superação humana em diversos campos, desde a intimidade do ser, ao profissional, à carreira, aos negócios, ao poder e ao desafio dos desafios: a liderança de si mesmo, de equipes realizadoras e de seres humanos. Portanto, além de Mestre em Arte, Educação e Cultura pela Universidade Mackenzie, de São Paulo, Tejon é Doutorando em Ciências da Educação, tem especializações nas melhores universidades do exterior e uma carreira sólida como CEO de grandes corporações.

Atualmente ele é professor de pós-graduação na FGV in company, na ESPM, e palestrante “top of mind” no País. Este é o seu 28º livro em autoria e coautoria e seu 4º no segmento específico da superação humana. “Esta obra não poderia ser mais uma falando da minha própria superação. O meu desejo era que o livro tratasse e inspirasse cada leitora e leitor pela busca ávida ao próprio código superante”, define Tejon. O autor também chama a atenção, principalmente, para que as pessoas não cometam o erro de parar, “tomados e dominados pelo anestesiante mundo das distrações.”

Segundo Tejon, o livro precisava ser inovador e incitar em todos os leitores o “reacender a chama da alma”, mesmo após a sensação paralisante de achar que “já se chegou lá.” O maior desafio de todas as superações, para o autor, não está naqueles que a precisam enfrentar de frente, porque um trauma, um acidente, uma guerra, a morte, a doença, a falência ou o abandono a provocaram.

“O maior drama da superação, ou da falta dela, está exatamente quando entramos na zona de conforto ou continuamos lutando bravamente por uma causa que já passou e não aprendemos a sair dela e nem criar nossos sucessores com a finalidade de perseguir outros compromissos dignos de criação da nossa alma.”

Essa situação é tipicamente o que ocorre com empreendedores, executivos e gestores de causas privadas ou públicas, que se transformam em pedras nas posições e nos cargos que ocupam, ou mesmo pais, mães e filhos, sem compreensão das suas passagens, e de todos os seres humanos que não captam o fundamento vital da disciplina do amor e da educação e ali terminam como as pedras do Armageddon, em Tel Megiddo, onde Tejon foi buscar inspirações milenares para seu novo livro.

Um livro único e diferente. Tejon mergulhou no apocalipse de Tel Megiddo, lugar bíblico e hoje um sítio arqueológico em Israel. Armageddon, é Tel Megiddo em Grego, e assim ficou conhecido como o local da batalha do juízo final, no encontro das forças do bem e do mal. Exatamente nas últimas páginas da bíblia, no texto escrito pelo apóstolo João.

Tejon tem também Megido no sobrenome, e isso o encheu de curiosidade. “Só poderia escrever meu novo livro de superação após uma jornada em terras de visões tão apocalípticas e milenares e sentir, viver o que aquela natureza e história poderiam me relembrar, reacender ou me impregnar com sua força presencial.” Após vivências muito fortes e surpreendentes, Tejon retornou “para casa” com um imenso vigor e consciência a respeito do poder da alma, e de descobertas concretas e, a partir do Armageddon, começou a surgir “O Código da Superação, uma fascinante jornada além da conquista.”

O obra oferece uma codificação que surgiu sem uma previsibilidade para que isso ocorresse. O autor primeiro fala das ilusões e de quatro recompensas: felicidade, eternidade, liberdade e amizade. Para que os leitores iniciem o processo da busca de um passo além da superação, o livro apresenta os quatro caminhos iniciais: 1- Acreditar na alma; 2 - Prestar atenção; 3 - Não ser indiferente à vida e 4 - Descubra seu código.

Em reflexões nas escavações de Tel Megiddo, nas suas jornadas mais íntimas e em contato com suas forças e conflitos interiores, Tejon revela os seus quatro códigos, decodificados, que tem sido sua força propulsora: 1 - O foco nas “batatas”; 2 - O que aprendeu de coragem junto ao mar; 3 - A criatividade na luz das janelas e, 4 - A preservação da sua criança interior perpétua.

O Código enumera ainda as reflexões de Tejon, de cada dia de meditação no Armageddon, sobre as 12 causas mais relevantes da alma humana e do enfrentamento superante: trauma, abandono, infância, amor, competição, carreira, educação, derrota, morte, agressão, beleza e sucesso.

Na busca de permitir um guia aos leitores, Tejon resgata ainda as pegadas para externalizar o herói que vive dentro de cada um de nós em seus 12 passos. No momento sagrado da "volta para casa", a grande síntese do código dos códigos surge, e alavanca todos os demais, que segundo o autor é quando “iniciamos o voo dos invencíveis.” O livro traz fundamentos de pensadores e do que Tejon considera a maior peça literária do mundo: O sermão do Grande Inquisidor, de Dostoiévsky, e tem citações e pensamentos de Nietzsche, Leonard Mlodinow, Miguel de Cervantes, Boris Cyrulnik, Freud, Sartre, dentre uma vasta bibliografia estudada para fundamentar sua jornada existencialista. 

Vale lembrar ainda que o Prefácio coube ao exemplo vivo do maestro João Carlos Martins, ser humano admirado pela sociedade e por Tejon, que o considera um exemplo real não apenas das superações das dores do físico, do destino, mas alguém que oferece a superação das superações. “O maestro nunca para, e sempre busca desafios novos para fazer exatamente com o que consegue depois das suas vitórias. E, como grande ser e líder que é, a generosidade é sua marca quando afirma: “José Luiz Tejon, você é o meu herói.” 

Além do maestro, outros exemplos de seres humanos superantes estão no livro e foram todos extraídos da vida real. Até a pedra do Armageddon, que Tejon trouxe consigo da viagem, calou seu silêncio em Tell Megido e ser humano e mineral puderam se conversar e se fazer entender. Ao final, tudo vai dar certo!

Sobre José Luiz Tejon: É um dos maiores exemplos de superação. Filho adotivo, não conheceu seus pais biológicos. Sua mãe, Benigna Tejon Megido, fugiu grávida para o Brasil, enquanto seu pai morreu nos cárceres da ditadura franquista, na Espanha. Foi adotado por um casal de imigrantes, o português Antônio Alves e a alemã Rosalinda Hoffmann. Aos 4 anos de idade teve 100% de sua face destruída numa queimadura de 3º grau. Santista, cresceu na junção dos bairros da Vila Belmiro e Marapé, onde seus pais adotivos tinham o pequeno Bazar Marapé. Estudou no Colégio Olavo Bilac, depois de ter iniciado seus estudos na Escolinha Nossa Senhora de Lourdes, da Santa Casa de Santos. Fez o nível médio no Colégio Canadá, onde iniciou compondo suas primeiras músicas. Veio a ganhar o Prêmio Governador do Estado, em 1970, como me lhor música para Teatro, no TEVC, Teatro Estudantil Vicente de Carvalho, na época dirigido por Carlos Pinto, atual Secretário de Cultura de Santos. Tejon foi para São Paulo, onde dirigiu o Grupo do Jornal O Estado de S. Paulo por 18 anos, como CEO da Oesp Mídia, além de ter sido diretor do Grupo Agroceres e da Jacto. Ganhou muitos prêmios profissionais e, neste ano, foi eleito palestrante Top Of Mind do País. O Código da Superação é o seu 28º livro. Hoje, Tejon dirige aTCA Internacional, com parcerias na Europa, além de ser mestre pela Universidade Mackenzie, com especializações em Harvard, MIT e Insead e doutorando em Ciências da Educação. É professor de pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas (FGV in company-São Paulo) e dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM. É também diretor vice-presidente do Conselho Científico para a Agricultura Sustentável (CCAS), comentarista da Rádio Estadão ESPN e articulista em diversas publicações. Uma vez por mês, Tejon se apresenta com sua banda Dinossauros Rock Band no Dinossauros Rock Bar.
Tags:
Fonte:
AI José Luiz Tejon

0 comentário