Soja Plus entrega cartilha de Construções Rurais ao Ministério do Trabalho

Publicado em 26/07/2013 17:43
811 exibições
Cartilha de Construções Rurais busca instruir e orientar os produtores rurais quanto às adequações nas propriedades

Nesta sexta (26) ocorreu a última reunião do Soja Plus (Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Propriedade Rural) para entrega de exemplares da cartilha de Construções Rurais junto às entidades fiscalizadoras, desta vez com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Após ser entregue também ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, (Indea-MT) e à Secretária de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema) para fazerem suas últimas contribuições, caso necessárias, o primeiro fascículo já começa a ser disponibilizado ao produtor, por meio dos supervisores de projetos da Aprosoja.
 
A cartilha reúne de forma simples e ilustrativa todas as normas regulamentadoras no âmbito trabalhista e ambiental, para que os produtores possam construir as instalações das propriedades rurais com segurança. A auditora do MTE, Giselle Sakamoto, destaca que o trabalho ficou muito bem feito. “Achei que ficou mais abrangente do que imaginava, com boas ilustrações e conteúdo bem completo”.
 
O gerente de planejamento da Aprosoja, Cid Sanches, relatou que para formação da cartilha foram recebidas contribuições do Ministério do Trabalho e demais entidades. “Tentamos reunir toda a legislação vigente em uma única linguagem para que, na prática, possa de fato auxiliar o produtor”. O superintendente do MTE em Mato Grosso, Valdiney Antonio Arruda, disse que a iniciativa é muito importante e bem-vinda diante das dificuldades que as empresas têm em traduzir as leis na prática. “Nós podemos ajudar com base no que temos encontrado no dia-a-dia. E é nossa intenção aprimorar cada vez mais esse diálogo com os empregadores, pois acompanhamos e podemos ver a evolução deste trabalho em conjunto”.
 
Também foi levantando na reunião, pela auditora do Ministério do Trabalho, que os treinamentos voltados para aplicação correta de agrotóxicos estão em falta no mercado. “Verificamos que outras empresas estão ofertando o curso diante da necessidade dos produtores, mas o conteúdo programático obrigatório não está sendo respeitado”, disse Giselle Sakamoto. Oficialmente, quem está apto a oferecer esses cursos é o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Isso significa que, perante a legislação, os cursos ofertados por outras empresas não têm certificação adequada, com profissionais habilitados.
 
Além das cartilhas desenvolvidas para instruir os produtores rurais nas fazendas, o Soja Plus também está trabalhando com os cursos de Diálogo Diário de Segurança (DDS). São cinco vídeos que orientarão os trabalhadores rurais em determinadas épocas da safra. Já estão prontos os vídeos sobre manuseio de agrotóxicos e procedimentos seguros em oficinas agrícolas e ainda estão em finalização os vídeos de implementos agrícolas, pulverizadores e colheitadeiras e o de prevenção de fogo e construção de aceiros. Também estavam presentes a analista de Meio Ambiente, Marlene Lima, e o analista do Soja Plus, Alex Machado, ambos da Aprosoja.
 
Soja Plus
O Programa de Gestão Socioambiental da Propriedade Rural Brasileira (Soja Plus) estabeleceu uma série de critérios de gestão que, se seguidos, podem garantir ao produtor rural a melhoria contínua da produção de soja segundo requisitos de desempenho economicamente viáveis, socialmente justos e ambientalmente corretos. O programa visa à melhoria contínua e não tem custo para o produtor. A meta é tornar-se o maior programa de gestão de propriedade rural do país, preparando o produtor para atender as demandas de forma mais sustentável do ponto de vista econômico, social e ambiental.

Tags:
Fonte: Aprosoja

0 comentário