Na reta final Ibope e Datafolha mostram subida de Aécio, mas Dilma ainda lidera

Publicado em 04/10/2014 18:26 e atualizado em 04/10/2014 21:21 638 exibições
em O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo.

No ESTADÃO: Ibope: na reta final, Aécio ultrapassa Marina, mas ainda há empate técnico

Candidato do PSDB sobe cinco pontos, passa de 22% para 27% dos votos válidos e ex-ministra cai de 28% para 24%; Dilma tem 46%

A última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo feita antes das eleições mostra que o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, cresceu e alcançou a rival Marina Silva na disputa por uma vaga no segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff. Com 27% dos votos válidos, cinco a mais que no levantamento anterior, ele está numericamente à frente da candidata do PSB, que caiu de 28% para 24%. Persiste, porém, a situação de empate técnico, já que a margem de erro da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

 

 

 

Dilma chega à véspera da votação com 46% dos votos válidos. Ela oscilou um ponto para baixo em relação ao levantamento anterior. A pesquisa foi feita após o debate presidencial da TV Globo, último grande evento da campanha de 2014.

Aécio estava em terceiro lugar desde a entrada de Marina na corrida presidencial, com a morte de Eduardo Campos, na metade de agosto. Pesquisas anteriores do Ibope mostravam que a candidata do PSB tinha tendência de queda desde o início de setembro.

Em um eventual segundo turno, Dilma venceria pelo mesmo placar contra qualquer um dos adversários: 45% a 37%.

O universo dos votos válidos, utilizado pelo Tribunal Superior Eleitoral para divulgar seus resultados oficiais, exclui os brancos e nulos. Levando-se em conta os votos totais, Dilma tem 40%, Aécio, 24%, e Marina, 21%. A pesquisa foi realizada entre os dias 2 e 4 de outubro. Foram entrevistados 3010 eleitores. 

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-01021/2014.

 

Na FOLHA: Dilma tem 44%, Aécio vai a 26% e Marina recua para 24% dos válidos, diz Datafolha

por RICARDO MENDONÇA, da FOLHA DE SÃO PAULO

 

Pesquisa Datafolha finalizada neste sábado (4) mostra o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, dois pontos à frente de Marina Silva (PSB) na disputa pela vaga no segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff (PT). A menos de 24 horas do início da votação, Dilma alcança 44% das intenções de voto válido (conta que desconsidera brancos e nulos), Aécio chega com 26%, Marina tem 24%.

Aécio e Marina estão tecnicamente empatados, já que a margem de erro do estudo é de dois pontos para mais ou para menos. Mas ele chega ao dia da eleição numericamente à frente da rival pela primeira vez e, mais importante, em trajetória de ascensão -o oposto do que ocorre com sua rival.

Luciana Genro (PSOL), Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) têm 1% cada um. Os outros cinco candidatos inscritos somam 1%. Há 4% do eleitorado que planeja votar nulo ou em branco. E outros 5% que não sabem em quem votar.

Estes resultados não podem ser confundidos com uma tentativa de previsão dos resultados da eleição deste domingo. Trata-se de um indicativo de tendências. Encerrada antes do início da votação, e com parte importante das entrevistas feitas nesta sexta, a pesquisa é um retrato da corrida eleitoral no período em que as entrevistas foram feitas.

No teste de segundo turno, Dilma vence tanto Aécio quanto Marina. Contra o tucano, a vantagem da petista é por seis pontos (53% a 47% dos votos válidos). Contra a pessebista, por dez pontos (55% a 47%).

Por encomenda da Folha e da TV Globo, o Datafolha ouviu 18.116 pessoas em 468 municípios neste sábado e na sexta. O nível de confiança é 95% (em 100 pesquisas com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro do levantamento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-01037/2014. 

  Editoria de arte/Folhapress  
 

No ESTADÃO: Diferença, inércia e aceleração dão mais chances a Aécio no Ibope da véspera da eleição

JOSE ROBERTO DE TOLEDO

04 Outubro 2014 

Apesar do empate técnico não permitir dizer com certeza qual dos dois candidatos passará ao segundo turno junto com Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) leva vantagem sobre Marina Silva (PSB). Por pelo menos três razões.

1) Inércia: os movimentos da reta final de campanha são os mais importantes, porque acomodam os eleitores indecisos ou que estão mudando de voto. Toda a movimentação dos últimos dias foi favorável a Aécio e desfavorável a Marina. Ele está em ascensão, e ela, em uma curva de queda continuada há um mês.

2) Aceleração: Aécio cresceu cinco pontos em apenas dois dias, de 22% para 27% dos votos válidos, enquanto Marina caiu quatro pontos, de 28% para 24%, no mesmo período. Esse movimento mais rápido na última hora é um bom sinal para o tucano. É similar ao que aconteceu com Fernando Haddad (PT) e Celso Russomanno (PRB) na reta final do primeiro turno da eleição paulistana de 2012 e deu Haddad.

3) Vantagem probabilística: a diferença de três pontos, embora configure empate técnico (Aécio poderia ter no mínimo 25%, e Marina, no máximo 26%), confere favoritismo ao tucano. Considerada a margem de erro, há mais combinações de resultado que o favorecem do que a ela. Das 25 possíveis, 22 o deixariam em segundo lugar, duas os deixariam empatados e só uma (26% a 25% para ela) levaria Marina ao segundo turno.

Mesmo assim, embora bem menor, ainda há uma possibilidade de Marina ir para o segundo turno. O que não há é chance de não haver segundo turno.

EM O GLOBO:

Lula diz que será mais fácil para Dilma enfrentar Aécio

POR Ricardo Noblat

Há poucas horas, durante uma conversa em São Paulo com Rui Falcão, presidente do PT, Lula discordou dele.

Rui havia dito que o melhor para Dilma seria enfrentar Marina ao invés de Aécio. Marina chegará ao dia da eleição perdendo pontos nas pesquisas de intenção de voto. Aécio chegará ganhando. Com mais vigor e moral.

Marina não tem estrutura partidária, lembrou Rui. Aécio tem. O marketing de Marina é inferior ao de Aécio. A capacidade de Aécio de arrecadar dinheiro para a campanha é maior que o de Marina.

Lula confrontou o raciocínio de Rui com dois argumentos. O primeiro: o PT tem larga experiência de combate contra o PSDB. A campanha para derrotar Aécio está pronta. Não foi usada no primeiro turno porque o adversário mais forte passou a ser Marina.

O segundo argumento: no imaginário das pessoas, Marina é a mudança. Ou representou a mudança enquanto durou. Aécio, no máximo, é um candidato de oposição.

É mais fácil encarar um candidato de oposição do que um candidato de mudança. Algo como 72% dos brasileiros querem mudança.

Rui acabou a conversa concordando com Lula. Ou por ter se convencido de que ele tinha razão ou simplesmente por elegância.

Tags:
Fonte:
O Estado de S. Paulo/O Globo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário