Fruticultura responde por maior participação no PIB do CE

Publicado em 03/05/2010 08:43 e atualizado em 04/03/2020 02:56 1143 exibições
A principal cultura na composição do PIB do setor agrícola familiar no Ceará são as frutas. Esses produtos respondem por 41,3% do que é gerado pelas propriedades familiares no Estado. Entre 2002 e 2007, período considerado no levantamento da Fipe, observa-se uma evolução significativa nessa contribuição. No primeiro ano pesquisado, a proporção era de 30,8%, resultado em uma variação acumulada de 43,8%.

O peso da fruticultura no PIB da agricultura familiar é tanto, que chega a ser quase três vezes superior ao segundo cultivo mais importante, o feijão, cuja a contribuição para o indicador é de 14,6%. Segundo a Fipe, a produção de frutas no Estado foi largamente ampliada nos últimos anos, especialmente nas regiões litorâneas e mais recentes do Sul do Ceará, nas proximidades de Juazeiro do Norte. Conforme os pesquisadores, a importância dessa cultura para a economia cearense é notória, pois sua a produção é capaz de gerar maior valor por área. Destaca-se também que grande parte da quantidade produzida é beneficiada, provendo o aumento da indústria regional.

"O Ceará tem tradição e vocação para o setor da fruticultura. Se considerarmos a disponibilidade de áreas irrigadas disponíveis para esta atividade veremos a dimensão do que falo. Temos clima e solo extremamente favoráveis. Além disso, temos água de qualidade e disponível e uma localização privilegiada se comparada a outros estados em relação aos principais centros consumidores da Europa e dos Estados Unidos", argumenta Marcelo Pinheiro, presidente do Instituto Agropolos.

Segunda maior participação, o feijão, apesar de nos seis anos da pesquisa vir mantendo a posição entre as culturas mais representativas na composição do PIB do setor agrícola familiar no Ceará, vem perdendo espaço, enquanto cresce o poder da fruticultura. Em 2002, o cultivo desse grão respondia por 20,4% do PIB do setor, caindo para 14,6% em 2007. A mandioca (12,3%) e o milho (12,2%), por sua vez, ocupam a terceira e a quarta posições. Assim como o feijão, o cultivo do milho também perdeu participação no indicador.

No primeiro ano do levantamento (2002), detinha 23,4%, posicionando-se à época na segunda colocação. Já em 2007, a participação foi reduzida para 12,2%. Por outro lado, a mandioca elevou sua contribuição no PIB do setor agrícola familiar no Estado, saindo de 6,7% (4ª posição) para 12,3%, entre 2002 e 2007.

Pecuária

A bovinocultura leiteira é responsável pela maior parcela do PIB do agronegócio pecuário familiar no Ceará, alcançando média, de 50% em todo o período. Em 2007, último ano da pesquisa, a participação do leite chega a 56,7%, contra 45,3% em 2002. A segunda posição é ocupada pela avicultura, com 24%; e a terceira pela bovinocultura de corte (13,3%).

Tags:
Fonte:
Diário do Nordeste

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário