Frigoríficos estão analisando as compras no atacado para ajustar preços ofertados pela a arroba

Publicado em 06/07/2020 17:15 593 exibições

LOGO nalogo

Os negócios no mercado físico não tiveram atuação mais ativa de nenhuma das pontas do mercado, conforme a Informa Economics FNP ressaltou. “A maior parte dos frigoríficos pesquisados manteve as referências de preços praticadas na sexta-feira, ainda analisando os resultados das vendas de carne no final de semana para ajustar melhor as cotações oferecidas”, apontou.

Do lado do pecuarista, o cenário ainda prevalece com uma baixa disponibilidade de animais prontos, que se deve aos poucos incentivos nesse primeiro giro de confinamento. “Em março, quando os pecuaristas começam a confinar, o mercado físico da boiada gorda operava sob forte volatilidade e incerteza”, comentou a informa.

De acordo com o levantamento da Agrifatto, a arroba do “Boi-China” orbita faixa dos R$ 220-225,00/@ e para o boi comum o deságio permanece entre R$10-15/@. Já no aplicativo da Agrobrazil, os participantes informaram negócios em Lins/SP ao redor de R$ 225,00/@, à prazo com oito dias para pagar e com data para o abate em 09 de julho.

Em Santa Fé do Sul/SP, o valor negociado para o animal com destino ao mercado interno foi de R$ 220,00/@, à vista e com data para o abate em 09 de julho. Na localidade de Barra do Burges/MT, o boi Europa foi comercializado a R$ 197,00/@, à prazo com trinta dias pagar  e com data para o abate em 10 de julho.

Mercado futuro

Nesta segunda-feira (06), os preços futuros finalizaram a sessão com valorizações na Bolsa Brasileira (b3). Os principais contratos negociados registraram ganhos de 0,83% a 1,54%. O vencimento Julho/20 encerrou a sessão com uma alta de 1,54%% e cotado a R$ 218,00/@.

O contrato Agosto/20 terminou o dia precificado a R$ 214,00/@ e com um avanço de 0,94%, enquanto, o Outubro/20 teve uma desvalorização de 0,83% e fechou o dia negociado a R$ 212,90/@.

Atacado

O fluxo de vendas no mercado atacado está maior com a primeira quinzena do mês, o que enxugou os estoques, que já eram baixos. “O início do mês traz as expectativas de uma melhora no consumo interno, com a chegada dos salários e do auxílio emergencial. As indicações começam a receber pequenos reajustes positivos entre R$0,10-0,20/kg, com isso, já é possível ver cotações da carcaça casada bovina na casa dos R$ 14,20/kg”, destacou a Agrifatto.

Segundo a Scot Consultoria, os preços da carne sem osso no varejo apresentou valorização de 0,4% nesta semana. “O aumento foi de 0,6% nos cortes do dianteiro, frente a uma valorização de 0,4% nos cortes do traseiro. Na comparação anual, houve aumento de 22,0% na média de todos os cortes pesquisados, puxado principalmente pelos cortes do dianteiro, que apresentaram valorização de 29,6%no período”, conclui.

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta segunda-feira:

>> BOI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário