Após ofertar preços maiores para a arroba, frigoríficos conseguem alongar escalas de abate em SP

Publicado em 06/08/2020 17:04 242 exibições

LOGO nalogo

As indústrias frigoríficas conseguiram alongar as escalas de abate na maioria das localidades. A IHS Markit destacou que as escalas estão próximas de uma semana em São Paulo e que as empresas reajustaram os níveis dos abates diários que, em muitas praças, operava diminuído ou, até mesmo, escalonado.

Diante dos ganhos da arroba nos últimos dias, os pecuaristas que contavam com lotes de animais para negociar se posicionaram no mercado de forma mais ativa. “Os produtores se posicionaram de forma mais ativa nas vendas, enxergando margens mais remuneradoras com os custos do gado de reposição”, reportou a IHS Markit.

A média das escalas de abate estavam com uma média de até 5 dias úteis na semana anterior, conforme divulgado pela a Agrobrazil. Nesta semana, os termômetros das programações de abate já contam com níveis de escalas entre seis a 10 dias úteis no estado de São Paulo, Pará e parte do Mato Grosso do Sul.

Nos demais estados, as programações de abate ainda seguem curtas com uma média ao redor de 01 a 06 dias úteis.  Podemos observar que os estados que estão com as escalas mais curtas estão com preços mais elevados para a arroba e com encurtamento do diferencial de base, quando comparado as praças paulistas.

Escalas de abate no país elaborado pelo o aplicativo da Agrobrazil

Os pecuaristas informaram no aplicativo da Agrobrazil negócios para o boi com premiação cota Hilton em Rio Verde/GO ao redor de R$ 224,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data para abater em 13 de agosto. Em Juti/MS, o animal com padrão exportação foi comercializado a R$ 222,00/@, à prazo com vinte dias para pagar e com data para abater em 17 de agosto.

Nas praças paulistas, os negócios para o boi China permaneceram no patamar dos R$ 230,00/@à vista, como observado na localidade de Novo Horizonte/SP e com data para abate em 18 de agosto. Os participantes do aplicativo Agrobrazil divulgaram negócios em Quintana/SP para o animal China a R$ 230,00/@, à vista e com data programada para abater em 10 de agosto.

Já no mercado futuro, as cotações finalizaram a sessão desta quinta-feira (06) com desvalorizações nos principais contratos negociados na Bolsa Brasileira (B3). O vencimento Agosto/20 registrou uma queda de 0,26% e está precificado a R$ 225,90/@. O Setembro/20, fechou o dia em R$ 224,00/@, perda de 0,22% na comparação diária, enquanto, o Outubro/20 teve uma desvalorização de 0,09% e está cotado a R$ 224,30/@

Mato Grosso

No estado do Mato Grosso, o número de abates registrou um crescimento de 8% na comparação mensal, em que foram abatidos 507,26 mil animais. De acordo com o Instituto de Defesa Agropecuária do Mato Grosso (Indea/MT), o volume ainda é 5% menor do que o número de cabeças abatidas durante o mesmo período do ano passado.

O total de fêmeas encaminhadas para a linha de abate caiu 4%, o número de machos abatidos no Estado cresceu 16% no comparativo mensal. “A participação das fêmeas na linha de abate mato-grossense caiu ao menor nível para um mês de julho desde 2015, com apenas 39,05% do volume total abatido sendo representado por fêmeas”, comentou o Instituto.

Segundo o levantamento do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA),  os preços da arroba registraram valorizações nas maioria das praças pesquisas. A região de Araputanga/MT registrou o maior ganho com 1,54% em que a arroba está precificada a R$ 195,26/@. O maior preço nominal foi observado em Rondonópolis, em que o boi está cotado a R$ 200,00/@, com uma alta de 0,13% frente ao dia anterior.

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta quinta-feira:

>> BOI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário