Japantimes: Nestlé aposta no mercado japonês de café que está em consumo em alta

Publicado em 19/06/2014 17:43 e atualizado em 03/03/2020 07:12 545 exibições

O mercado doméstico de café no Japão bateu recorde no ano passado, com consumo alcançando 446.392 toneladas, de acordo com a Associação All Japan Coffee. Diante deste mercado cada vez mais promissor, a multinacional suíça Nestlé começa a investir no país. 

“O café era originalmente uma bebida social no Japão, apenas consumida em cafeterias, mas esta tendência está mudando, ao passo que a cultura japonesa se torna cada vez mais ocidentalizada”, disse Toyohide Nishino, diretor executivo da Associação All Japan Coffee.         

Até redes de lojas de conveniência estão investindo na venda de espressos. Em janeiro do ano passado, a rede Seven-Eleven Japão lançou uma linha de cafés em suas unidades e vendeu mais de 450 milhões de xícaras no país em apenas dois meses.

Investimentos da Nestlé
A multinacional Nestlé está tentando capitalizar diante da demanda crescente do Japão lançando no mercado uma máquina que produz café de qualidade em casa, que tem como alvo consumidores de paladares refinados. “É uma boa hora para a empresa construir seu mercado e fortalecer sua presença no Japão”, afirmou Diane Duperret, porta-voz da Nestlé. 

A empresa foi fundada em 1986 e entrou no mercado japonês no mesmo ano. Atualmente, a Nestlé comercializa café em cápsulas em 59 países no mundo todo, além disso, está visando novas oportunidades de negócios na Ásia e na América do Norte.

As cápsulas usadas nas máquinas ‘Nespresso’ são produzidas na Suíça. Seu café é considerado como bebida de “alta qualidade” que atende a padrões restritos. A empresa informa que possui mais de 40 itens de controle de qualidade em seus produtos. 

Esses controles incluem a degustação dos cafés verdes e a checagem do produto final para garantir a consistência da bebida. “Nós sabemos que os consumidores japoneses valorizam produtos de alta qualidade, então acreditamos que poderemos ter um papel importante neste mercado”, garantiu Duperret, acrescentando que a empresa pretende aumentar a publicidade e observar a origem dos cafés verdes. 

O café instantâneo começou a ficar mais popular no Japão durante o rápido crescimento econômico do país nos anos 60, quando as pessoas começaram a preparar seu café em casa, de acordo com a Associação All Coffee Japan. Agora que novas redes como a Starbucks ficaram mais populares, os japoneses começam a procurar café de qualidade a preços mais acessíveis.      

Especialistas do setor afirmam que o gosto pelo café no Japão cresceu bastante depois que a rede McDonald’s lançou seu “café Premium”, vendido a preços acessíveis, em fevereiro de 2008. O café era promovido como um produto feito com grãos arábica de regiões selecionadas e torrefação feita em máquinas especiais. Foi um grande sucesso. A rede vendeu 30 milhões de xícaras nas primeiras 5 semanas após o lançamento. 

“O sabor era totalmente diferente, fazendo com que outras redes de restaurantes se prontificassem a melhorar a qualidade do café que serviam”, afirmou Nishino, acrescentando que as cafeterias também foram afetadas. 

p3-coffee-a-20140618-870x651.jpg

Informações: Japan Times

Tradução: Fernanda Bellei
 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário