Café no mundo: aumento na produção da Colômbia compensa quedas no México e na América Central

Publicado em 03/07/2014 10:33 e atualizado em 03/07/2014 13:17 438 exibições

A Federação Nacional da Colômbia contou que a produção de café no mês de junho foi 3,4% superior ao mesmo mês de 2013, para um total de 944.000 sacas. Já as exportações do país também tiveram alta, de 11,74%, em um total de 752.000 sacas.

Como os números da produção seguem otimistas, a Colômbia deve produzir nos últimos três meses do ano cafeeiro pelo menos 2,7 milhões de sacas, concluindo uma produção total de cerca de 11,5 milhões de sacas.

Os bons números colombianos têm compensado os efeitos negativos em relação à queda da produção mexicana e centro-americana e às exportações correspondentes à cadeia de café de qualidade.

A Marex Spectrom – corretagem de commodities com sede em Londres - prevê uma quebra na América Central de 3,4 milhões de sacas, com maiores prejuízos nas safras da Guatemala e El Salvador.

Dados da Organização Centro-americana de Exportadores de Café apontam que a safra de 2012/2013 foi reduzida em 20% por conta da ferrugem – doença causada por fungo que pode destruir lavouras inteiras de café.

Apesar desse cenário, um relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) projetou uma safra 2014/2015 otimista para México e América Central com aumento de 870 mil sacas, para 16,2milhões de sacas. 

Exportação na Guatemala cai
A Organização Nacional de Café da Guatemala relatou que o país exportou no mês de junho 22,65% menos do que no mesmo período do ano passado, de um total de 327.537 sacas de café. 

Monções mais brandas na Índia
A temporada de monções - estação climática na qual os ventos sopram de sudoeste na Índia e países próximos e que é caracterizada por chuva intensa do início de junho a setembro, que representa normalmente 70% da precipitação anual – continua registrando chuvas 20% abaixo da média na Índia. Porém, analistas indicam ser muito cedo ainda para informar se a safra de café será ou não prejudicada pelas monções. 

Mercado físico na Indonésia “travado”
Analistas disseram que o mercado físico de café robusta na Indonésia está “travado” por conta do Ramadã – período de um mês em que os mulçumanos não podem comer nem beber durante o dia. Por isso, não há compradores internos para o produto. 

Isso refletiu também no mercado externo. O concorrente direto Vietnã, também foi prejudicado, já que a Indonésia está com café robusta de melhor qualidade em maior estoque, prontos para a venda. 

A indonésia é o terceiro maior produtor de café do mundo, atrás apenas de Brasil e Vietnã. Além disso, também é o país mulçumano mais populoso do planeta. 

Os futuros do café robusta subiram mais de 20% neste ano, devido às incertezas quanto à safra brasileira, principalmente no que diz respeito ao café arábica. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário