Café: fundos ditam preços em NY por falta de informações significativas

Publicado em 15/07/2014 16:24 581 exibições

O mercado de café encerrou a sessão desta terça-feira (15) em baixa de 240 pontos para os principais contratos na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). As cotações desses últimos dias foram as mais baixas desde fevereiro. 

O vencimento setembro fechou em 161,95 centavos de dólar por libra-peso. Dezembro registrou 165,70 cents/libra-peso. Março/2015 anotou 169,10 cents/libra peso, enquanto maio/2015 assinalou 171,20 centavos/libra-peso. 

Segundo analistas, as divulgações dos altos números na exportação brasileira, a falta de informações sobre o real volume da safra nacional e o clima seguindo estável são os principais fatores dos preços mais baixos. 

Somado a esse cenário, dados indicam que compradores se anteciparam nas aquisições de café no início do ano com receio de uma quebra grande e preços elevados. Sendo assim, o abastecimento seria suficiente para o momento. “Se por um lado você não tem compradores, por outro você também não tem produtores interessados na venda, ou seja, os fundos estão movimentando o mercado de acordo com seus interesses”, explicou Anselmo Magno de Paula, gerente de café da Cocapec/Franca (Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas).

Enquanto isso, a colheita de café nas lavouras do país segue em algumas regiões, adiantada, em outras dentro da normalidade. Na região gerenciada por Anselmo, 40% da colheita já foi concluída com uma estimativa de quebra de 10%. 

“Aqui na região nós temos índices menores de quebra, porque esperávamos já uma safra recorde. No ano passado, nossa produção finalizou em 750.000 sacas de café e a estimativa deste ano é quase o dobro, de 1,3 a 1,4 milhão de sacas”, detalhou ele, que também concluiu reiterando que a bienalidade da região é muito certeira. 

 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário