Café: Bolsa de Nova York tem queda de mais de 300 pts na sessão desta 2ª com câmbio e ajustes

Publicado em 12/11/2018 17:51 e atualizado em 13/11/2018 16:48
255 exibições

LOGO nalogo

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) registraram queda de mais de 300 pontos na sessão desta segunda-feira (12). O mercado externo do grão busca acomodação depois voltar a se aproximar do patamar de US$ 1,20/lb nos últimos dias e também foi pressionado pelo câmbio.

O vencimento dezembro/18 encerrou a sessão com queda de 400 pontos, a 109,85 cents/lb, e o março/19 recuou 375 pontos, cotado a 113,75 cents/lb. Já o contrato maio/19 registrou 116,65 cents/lb com 375 pontos de perdas e o julho/19 teve desvalorização de 370 pontos, a 119,45 cents/lb.

O mercado externo do arábica estendeu no dia as perdas da última sexta-feira (09), que foram de mais de 200 pontos. As cotações seguiram oscilando mais tecnicamente na maior parte do dia depois de se aproximarem de US$ 1,20/lb, mas a valorização do dólar também contribuiu para as perdas. 

"As relações das moedas e, especialmente, a relação entre o dólar e o real brasileiro, continuam ser a força motriz nas negociações de café", disse em relatório o analista e vice-presidente e analista da Price Futures Group, Jack Scoville, em referência às oscilações do arábica na Bolsa de Nova York.

O dólar comercial fechou o dia com alta de 0,55%, cotado R$ 3,7567 na venda, com exterior e política no Brasil. A moeda mais alta em relação ao real tende a desencorajar as exportações da commodity, mas em compensação pesa sobre os preços externos do grão.

"A semana é mais curta, mas está carregada de eventos relevantes", disse para a Reuters internacional o operador da Advanced Corretora Alessandro Faganello, citando indicadores norte-americanos nos próximos dias que podem dar pistas sobre a trajetória dos juros nos Estados Unidos.

De acordo com o analista e diretor da Comexim nos Estados Unidos, o mercado ainda pode oscilar nas próximas semanas com o fortalecimento do real ou mesmo sobre o clima, dado alguns institutos estarem falando de uma maior chance de ano com El Nino. A safra brasileira está em desenvolvimento.

Mercado interno

A liquidez segue baixa nas praças brasileiras. "No mercado físico brasileiro houve resistência dos produtores em vender a preços mais baixos e os negócios que foram fechados tiveram preços praticamente nas mesmas bases dos da semana passada", noticiou o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 478,00 - estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Franca (SP) com queda de 2,08% e saca a R$ 470,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor em Franca (SP) com saca a R$ 445,00 e queda de 2,20%. A maior oscilação ocorreu em Varginha (MG) com baixa de 4,44% e saca a R$ 430,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca R$ 455,00 e avanço de 1,11%. A maior oscilação ocorreu em Varginha (MG) com queda de 4,49% e saca a R$ 425,00.

Na sexta-feira (09), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 445,33 e queda de 1,28%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário