Clima: Chuvas atrasam colheita do trigo no Sul do Brasil e previsões de instabilidades vão até dia 15

Publicado em 10/10/2017 11:38 e atualizado em 10/10/2017 12:21
2411 exibições

LOGO nalogo

Uma cultura ameaçada pelo clima duas vezes. O trigo. Primeiro por conta das condições climáticas adversas que afetaram seu  desenvolvimento nas lavouras brasileiras nos últimos meses e, agora, por conta das chuvas que têm afetado os trabalhos de colheita no Rio Grande do Sul, principalmente. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê instabilidades no Sul do Brasil até pelo menos o dia 15 de outubro e chuvas de até 100 milímetros nesta terça no RS e PR, maior estado produtor do cereal.

Veja o mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 174 horas (11/10 a 17/10) para todo o Brasil:


Fonte: Inmet

De acordo com dados do Deral (Departamento de Economia Rural do Estado do Paraná) cerca de 77% das lavouras do cereal estavam colhidas, ante 64% do ano passado. Os trabalhos começaram mais cedo do que no Rio Grande do Sul, segundo estado produtor, e que tem colheita próxima de zero, segundo dados da Emater/RS, e está atrasada. A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) apontou em boletim divulgado nesta terça a produção de trigo do Brasil em 2017 em 4,88 milhões de toneladas. Queda de 27% ante o ano anterior.

O Inmet emitiu alerta que começa nesta quarta-feira com perigo em áreas do RS e SC. "Chuva entre 30 e 60 mm por hora ou 50 e 100 mm por dia, ventos intensos (60-100 Km/h), e queda de granizo. Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos", disse o instituto. A mesma condição vale para esta terça, das 10h30 às 23h59, só que abrangendo também áreas do estado do Paraná.

Veja o mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 174 horas (11/10 a 17/10) para o Sul do Brasil:

Mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 174 horas (11/10 a 17/10) para o Sul do Brasil - Inmet
Fonte: Inmet

» Clique e veja mais informações na página de Clima e acompanhe cinco satélites em tempo real

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário