Tempo: Sem chuvas há mais de 4 meses, áreas do BR central tem alerta de onda de calor e baixa umidade

Publicado em 13/09/2019 10:33 e atualizado em 13/09/2019 12:10
936 exibições
As máximas podem passar dos 40ºC no Centro-Oeste e Sudeste; sem previsão de chuvas volumosas nos próximos dias

Imagem de satélite nesta sexta-feira (13) em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Imagem de satélite nesta sexta-feira (13) em todo o Brasil - Fonte: Inmet

LOGO nalogo

Áreas da região central do Brasil encerram a semana com condições bastante adversas de precipitação e temperatura. Sem chuvas há mais de quatro meses, alguns estados têm alerta de onda de calor e baixa umidade nesta sexta-feira (13). As máximas ultrapassam os 40ºC.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu alerta de onda de calor nesta sexta para áreas de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais. "Risco à saúde. Temperatura 5ºC acima da média por período de 03 até 05 dias", destacou o instituto. No campo, também há preocupação.

Veja o mapa das áreas com alertas nesta 6ª feira em todo o Brasil:

Veja o mapa das áreas com alertas nesta 6ª feira em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

A umidade baixa chega a níveis preocupantes em áreas do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Tocantins. "Umidade relativa do ar abaixo de 12%. Grande risco de incêndios florestais e à saúde (doenças pulmonares, dores de cabeça e etc)", destaca.

Também tem outros alertas de baixa umidade em Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Tocantins. "Umidade relativa do ar variando entre 20% e 12%. Risco de incêndios florestais e à saúde. Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz", informa o Inmet.

Veja o mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 93 horas (14/09 a 16/09) em todo o Brasil:

Mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 93 horas (14/09 a 16/09) em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Na capital Cuiabá (MT), a última chuva acima de 10 mm foi em 06 de maio, há mais de quatro meses. Em Campo Grande (MS), a chuva volumosa aconteceu pela última vez em 04 de julho. Goiânia (GO) teve chuva volumosa pela última vez em 17 de maio. Em Palmas (TO), a última precipitação volumosa foi em 24 de maio.

Em áreas da região Sudeste, como em Belo Horizonte (MG), as chuvas também estão escassas. Na capital mineira, o último registro de precipitação acima de 10 mm foi no dia 15 de maio. Produtores de café do estado, que é o maior produtor do grão no Brasil, estão preocupados com a estiagem diante das floradas.

O mapa de precipitação acumulada do Inmet dos últimos cinco dias mostra que as regiões Norte e Nordeste receberam os maiores volumes de chuva no período. Pontos do litoral Nordestino também tiveram precipitações. Enquanto no Brasil central, seguiu o tempo seco.

Veja o mapa de precipitação acumulada dos últimos 5 dias em todo o Brasil:

Mapa de precipitação acumulada dos últimos 5 dias em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

A Climatempo destaca que áreas do Centro-Oeste até pode ter chuvas nesta sexta-feira, mas serão em forma de pancadas e em baixos volumes. Ainda assim, de acordo com meteorologistas, a situação melhora um pouco já que áreas da região estão sem chuvas por meses.

"Na sexta-feira, o centro-oeste e sul do Mato Grosso e áreas do nordeste de do Mato Grosso do Sul seguem com condições para pancadas de chuva isoladas entre a tarde e à noite, inclusive Cuiabá e Campo Grande. Nas demais áreas da Região o predomínio será de sol e tempo seco", diz a Climatempo.

Nos próximos sete dias, a previsão do tempo do modelo Cosmo do Inmet não aponta chuvas volumosas para áreas da região central do Brasil. Elas seguem mesmo sobre as regiões Norte e Sul, com volumes fracos a moderados. Áreas do litoral Nordestino também podem ter fracas precipitações.

Veja o mapa de precipitação acumulada para os próximos sete dias em todo o Brasil:

Mapa de precipitação acumulada para os próximos sete dias em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

O Inmet alerta que áreas da região Sudeste devem ter declínio de temperatura nos próximos dias, mas as chuvas ainda não retornam.

Previsão estendida de chuvas para o Brasil

De acordo com o mapa de previsão estendida do centro de previsão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), no período de 13 até 21 de setembro, as chuvas mais volumosas ocorrem sobre áreas do Sul, Norte e pontos do Leste do Nordeste. A maior parte do país terá tempo seco.

De 21 até 29 de setembro, as chuvas tomam com mais força áreas centrais do Brasil, mas as precipitações mais volumosas ocorrem sobre as regiões Sul e Sudeste do país. Apenas a região Nordeste terá menores acumulados de chuva no período.

Veja o mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 13até 29 de setembro:

Mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 13até 29 de setembro - Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA
Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA

Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro
Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro

Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro
Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro

Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro
Tempo seco em Mato Grosso - Foto: Rogério Mouro

Lago Municipal Coronel Vivida (PR). Envio de Hélio de Carli
Lago Municipal Coronel Vivida (PR). Envio de Hélio de Carli

Colheita do trigo em Cascavel (PR). Envio do Eng. Agronomo Rafael Henrique
Colheita do trigo em Cascavel (PR). Envio do Eng. Agronomo Rafael Henrique

Morango gigante em Alto Paraguaçu -Itaiopolis (SC). Envio de Paulo Marcelo Adamek
Morango gigante em Alto Paraguaçu -Itaiopolis (SC). Envio de Paulo Marcelo Adamek

Clique e envie sua foto ou vídeo e apareça aqui no Notícias Agrícolas! Fale com a gente através do WhatsApp (19) 99767-0241, direct no Instagram @noticiasagricolas e @jornalistadotempo ou use as hashtags #jornalistadotempo ou #imangensdodia

» Clique e veja mais informações na página de Clima e acompanhe cinco satélites em tempo real

Por: Jhonatas Simião | Instagram @jornalistadotempo
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário