PR pede socorro aos produtores de feijão

Publicado em 11/02/2011 06:42 e atualizado em 11/02/2011 13:02 535 exibições
Entidades ligadas ao agronegócio reivindicam apoio à comercialização da safra e alocação de recursos para compra direta do grão.
Os baixos preços pagos aos produtores de feijão levaram a Secretaria Estadual de Agricultura (Seab), a Federação da Agricultura do Paraná (Faep) e o Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) a solicitarem ao Ministério da Agricultura a implementação de medidas emergenciais de apoio à comercialização da produção paranaense de feijão da safra 2010/11.

As entidades pedem providências para apoiar a comercialização, com intervenção e compra de pelo menos 175 mil toneladas da produção paranaense de feijão da safra 2010/11 e remanescentes da safra anterior (2009/10).

O documento pede a alocação de recursos para compra de 120 mil toneladas de feijão no Estado por meio do instrumento Aquisições Diretas do Governo Federal (AGF). Solicita também a alocação de mais recursos para a compra de 15 mil toneladas pelo Programa de Aquisição Direta de Alimentos (PAA). Está sendo reinvidicado ainda o Prêmio de Escoamento do Produto (PEP) para mais 50 mil toneladas a partir de fevereiro de 2011 e a oferta de Empréstimos do Governo Federal (EGF) para que os produtores não sejam obrigados a comercializar a safra a preços tão baixos como os atuais.

O engenheiro agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral) da Seab, Carlos Alberto Salvador, disse que agora o preço médio pago ao produtor no Paraná pelo feijão de cor está em R$ 56,42 e o preto em R$ 59,43. Segundo ele, no ano passado, os preços subiram bastante até outubro em função da entressafra, da escassez do produto e de notícias de seca provocadas pelo La Niña.

Em janeiro deste ano, o preço ao produtor para o feijão de cor estava em R$ 65,25 e em outubro de 2010 era R$ 127,55 o que mostra uma queda de 48,84%. Em outubro de 2010 o feijão preto era vendido por R$ 88,09 e em janeiro de 2011 estava em R$ 62,41, o que significa uma queda de 24,15%. O preço caiu com o início da colheita da safra e com as chuvas que diminuíram a qualidade do produto.

A previsão para a safra do feijão das águas 2010/11 é de 541.562 toneladas, 11% a mais que na anterior e a área plantada é de 340.272 hectares, 6% superior. Esta safra já está 71% colhida no Estado. O período de colheita vai de dezembro até o início de março.

Tags:
Fonte:
Folha de Londrina

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário