Milho: China abre as portas para cereal brasileiro

Publicado em 07/06/2012 14:09 1493 exibições
A China apresenta agora um protocolo que abre as portas do país ao milho produzido no Brasil. Segundo informações do jornal Gazeta do Povo, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu um documento que descreve parâmetros fitossanitários que devem liberar o comércio do cereal entre os países.

A compra do milho brasileiro pelos chineses acontece em função da ameaça de escassez do cereal no mercado interno. Somente nas últimas cinco safras o consumo de milho registrou acréscimo de 50 milhões de toneladas no país. 

A China possui atualmente uma das maiores produções de milho do mundo, com estimativa de colher 193 milhões de toneladas do cereal na temporada 2012/13. As importações do gigante asiático há três anos não atingiam 1 milhão de toneladas, mas na temporada passada chegaram a 5 milhões de toneladas e nesta devem atingir a marca de 7 milhões de toneladas, em um ano em que o Brasil terá 10 milhões de toneladas de milho disponível para as exportações. 

A China, que também trava negociações para exportação do milho argentino, deverá enviar este mês ao país representantes para discutir as variedades aceitas para comercialização. As deliberações com o país vizinho devem servir de parâmetro para o Brasil. Ainda assim, só devem ser aceitas variedades já aprovadas para o consumo chinês.

Segundo informações do presidente executivo da Abramilho (Associação Brasileira de Produtores de Milho) em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, o Brasil tem condições de atender às exigências fitossanitárias da China e deve ganhar espaço no mercado frente ao milho estadunidense. “Os Estados Unidos não tem milho suficiente para mandar para fora. A Argentina é grande exportador, mas também não dispõe de grande volume. A China deve levantar o mínimo de exigências possível, porque precisa repor seus estoques”, esclarece.

Com informações Gazeta do Povo
Tags:
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário