Milho abre a sexta-feira em baixa na B3 e em Chicago

Publicado em 10/07/2020 09:50 395 exibições
CBOT aguarda divulgação de novo boletim do USDA

LOGO nalogo

A sexta-feira (10) começa com preços futuros do milho operando em campo misto na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações entre 0,39% negativo e 0,58% positivo por volta das 09h42 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à R$ 51,00 com desvalorização de 0,39%, o setembro/20 valia R$ 48,60 com baixa de 0,21%, o novembro/20 era negociado por R$ 50,00 com perda de 0,32% e o janeiro/21 tinha valor de R$ 51,67 com ganho de 0,58%.

De acordo com o analista de mercado da Céleres Consultoria, Anderson Galvão, o que vai definir o rumo das cotações do cereal será o câmbio. “Dificilmente veremos o dólar abaixo dos R$ 5,00 ou R$ 4,90 no curto prazo e isso irá sustentar os preços do milho no Brasil”, diz.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro abriram a sexta-feira caindo na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registravam movimentações negativas entre 0,75 e 1,25 pontos por volta das 09h29 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à US$ 3,50 com perda de 0,75 pontos, o setembro/20 valia US$ 3,48 com queda de 0,75 pontos, o dezembro/20 tinha valor de US$ 3,55 com desvalorização de 1,25 pontos e o março/21 tinha valor de R$ 3,65 com baixa de 1,25 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os contratos dos cereais aguardam a divulgação do novo boletim mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que deve chegar nesta sexta-feira.

“Embora a maioria dos ajustes do relatório de área cultivada da semana passada já tenha sido calculada, os números atualizados também fornecerão mais informações sobre as estimativas globais de produção”, diz a analista Jacquelina Holland.

Relembre como fechou o mercado na última quinta-feira:

>> Preço do milho se valoriza no Brasil e em Chicago nesta quinta-feira

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário