Milho inicia a sexta-feira subindo na B3

Publicado em 14/08/2020 09:25 e atualizado em 14/08/2020 11:54 481 exibições
Chicago cai aguardando chuva no meio-oeste

LOGO nalogo

A sexta-feira (14) começa com os preços futuros do milho levemente mais altos na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações positivas de até 0,88% por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/20 era cotado à R$ 58,23 com alta de 0,71%, o novembro/20 valia R$ 57,46 com ganho de 0,81%, o janeiro/21 era negociado por R$ 57,40 com valorização de 0,88% e o março/21 tinha valor de R$ 55,47 com perda de 0,23%.

A moeda americana também iniciou o dia em alta, subindo 0,57% por volta das 09h17 (horário de Brasília) e sendo cotada à R$ 5,39.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) opera em queda para os preços internacionais do milho futuro nesta sexta-feira. As principais cotações registravam movimentações negativas entre 2,00 e 3,00 pontos por volta das 09h06 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/20 era cotado à US$ 3,22 com desvalorização de 3,00 pontos, o dezembro/20 valia US$ 3,36 com perda de 2,75 pontos, o março/21 era negociado por US$ 3,47 com queda de 2,00 pontos e o maio/21 tinha valor de US$ 3,55 com baixa de 2,00 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os futuros de milho caíram ligeiramente no comércio da madrugada, já que mais chuva é esperada no meio-oeste neste fim de semana.

Tempestades trazendo chuvas estão previstas para quase todo o leste de Nebraska, grande parte de Iowa e partes do sul de Wisconsin, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional.

“Ainda assim, algumas condições climáticas adversas são esperadas esta noite, incluindo granizo e vento, disse o NWS, que podem prejudicar ainda mais as safras que foram atingidas pela tempestade de vento Derecho no início desta semana”, alerta o analista Tony Dreibus.

Relembre como fechou o mercado na última quinta-feira:

>> Preço do milho sobe mais uma vez no físico e na B3

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário