Municípios mineiros pedem ampliação da área da Sudene

Publicado em 12/09/2013 09:34
359 exibições

Em audiência realizada na manhã de quarta-feira, 11 de setembro, no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), ministros, prefeitos e representantes das bancadas federal e estadual de Minas Gerais discutiram a inclusão de 81 municípios do Norte do estado e dos vales dos rios Mucuri e Jequitinhonha na área de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A inclusão permite o acesso a políticas de compras e linhas de crédito especiais, com recursos de fundos constitucionais, criadas para mitigar o impacto do clima no desenvolvimento das economias locais.

Para o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, esta é uma reinvidicação mais do que justa, uma vez que estes municípios também precisam receber atenção especial, já que também passam por situações climáticas semelhantes a dos municípios já inclusos no semiárido.
A campanha de reconhecimento dos municípios do semiárido é liderada pela Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), presidida pelo prefeito de Mirabela, Carlúcio Mendes. Além de Andrade, participaram da audiência os ministros da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, Antônio Andrade. A ampliação da área de abrangência da Sudene depende do rezoneamento do semiárido, o que é feito com base em características fisiográficas regionais. De acordo com o ministro Fernando Bezerra, a última revisão foi feita em 2005, por meio de decreto presidencial. A próxima está prevista para 2015.

Bezerra defendeu a formação de um grupo de trabalho formado por geólogos, meteorologistas, representantes da Sudene, dos municípios e das bancadas parlamentares para analisar a possibilidade de antecipação desse prazo. “A irregularidade dos regimes de chuva, acentuada pelo aquecimento global, pode nos levar a propor a antecipação desse prazo de revisão desde que amparados por estudos técnicos”, disse.

Fonte: Mapa

0 comentário