CNBB diz que conflitos no campo vão aumentar se Código Florestal for sancionado como foi aprovado pela Câmara

Publicado em 08/05/2012 07:43 761 exibições
Durante a divulgação do relatório da Comissão Pastoral da Terra (CPT) que registra  aumento de 15% no número de conflitos no campo em 2011 ante 2010,  secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, disse hoje (7) que se o novo Código Florestal entrar em vigor como foi enviado pelo Congresso para sanção presidencial, “provavelmente aumentará os confrontos”.

Dom Leonardo Steiner defendeu que a presidenta Dilma Rousseff vete o texto como foi aprovado pela Câmara, no final de abril.

“Infelizmente, o Código Florestal aprovado [pela Câmara] não prima pela ética. O texto aprovado visa especialmente ao lucro [dos produtores], vender [produtos primários] para o exterior. Se não for vetado, ele provavelmente aumentará o conflito no campo, e os relatórios [da CPT], no futuro, se tornarão ainda mais pesados”, declarou o secretário-geral da CNBB, crítico do que classifica como um “modelo equivocado de desenvolvimento", que prioriza o agronegócio em detrimento das populações tradicionais.

“Esperamos que o futuro nos ajude a termos um código que represente, de fato, uma possibilidade de relações harmônicas”, completou.

Para a coordenação nacional da CPT, o texto aprovado flexibiliza as leis ambientais e anistia quem desmatou em áreas de proteção ambiental.

Além de movimentos sociais e ambientalistas, o projeto da Câmara vem recebendo críticas também de senadores que haviam aprovado, com a participação dos deputados, um projeto considerado mais rigoroso quanto à proteção ambiental.
Fonte:
Agência Brasil

17 comentários

  • Waldir Sversutti Maringá - PR

    O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, não tem certeza do que afirma, pois diz apenas " provavelmente "

    Mas, penso, que mesmo assim, tem que apontar o porque desse achismo. Deitar falação criticando e pedindo o veto presidencial sobre o código florestal, revela seu desconhecimento sobre a realidade do interior brasileiro, desde XIQUE XIQUE até o CHUÍ, cujas margens estão consolidadas historicamente, e o povo não aceitará que por causa da sanha ou sonho dos ambientalistas se desfaçam as benfeitorias e lavouras construídas com seu suor.

    A viúva, (União) também ainda não se deu conta do quanto teriam que indenizar o povo, como analisa brilhantemente, Reinaldo Azevedo, em seu artigo de hoje.

    Se não tem dinheiro para colocar a saúde a salvo da vergonhosa situação hoje no País, vai ter para indenizar a colonização ribeirinha histórica do Brasil ?

    0
  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Por essas e várias outras que deixei de ser católico faz tempo. Hipocrisia sempre me deu nojo.

    0
  • josé louis matté Corbélia - PR

    A CNBB e a Pastoral da Terra são apenas extensões dos partidos comunistas disfarçados de padres católicos e por isso só falam bobagens ! ! !

    0
  • Wilson Tarciso Giembinsky Paracatu - MG

    Vou deixar de ser produtor rural e vou REZAR MISSA!!!!

    Mostrar à CNBB como se REZA!!!

    0
  • Diogo Mendes vicentini Votuporanga - SP

    Tem razão o Paulo de Tarso. Nao existe uma única igreja, casa paroquial que nao foram construídas pelo produtor rural, assim como as santas casas. A CNBB cospe no prato onde come. Suas terras sao improdutivas e nao consta que respeitem as regras ambientais. Muitas estao arrendadas para cana. Na minha região existe um lugarejo do inicio do seculo em absoluta pobreza em virtude de ter sido doado a igreja. Anos e anos de trabalho de muitos ainda nao foi suficiente para que documentem os moradores e possibilitem a regularização. Sr. Bispo - Cuide de sua ovelhas próximas, que segundo consta nao tem sido lá essas coisas.

    0
  • Adriano Ribeiro do Val Marques Taubaté - SP

    A presidente deve mesmo expurgar tal Código florestal que não trata de florestas, assim como deve expurgar todos os códigos a respeito já aprovados em décadas de irresponsabilidades jurídicas deste País, NÃO EXISTE AMPARO TÉCNICO PARA QUALQUER LEI OU CÓDIGO QUE DITE NORMAS A RESPEITO. Porque não é um assunto estudado e pesquisado como se deve antes de chegar a COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA, para poder se tornar LEI. Para Brasil!!! de criar argumento para advogado e promotor gastar o dinheiro publico em vão, e condenar o visinho com quem se tem richa, o tempo da caça às Bruxas já vai longe, moderniza Brasil. Quanto a CNBB, a mais de 3 décadas já lhes foi dito que a Igreja Católica estava perdendo terreno por esquecer de salvar as almas de seus Fieis, precisa reinterar?

    0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    A CNBB deve cuidar de assuntos de seu interesse e parar de incitar guerras entre as categorias deste país. A época em que a Igreja mandava no mundo ja foi, nao temos mais cruzadas, não temos mais reis e rainhas apadrinhados pela Igreja, desta forma não podemos permitir que uma Instituição Religiosa, onde tem sua base nos produtores rurais, fique querendo fazer deste pais uma guerra, vamos acabar com essa hipocrisia e começar a rever as posses de terras da Igreja Católica no Brasil e assentar os sem terra.

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    A Igreja deveria se envergonhar de tomar uma posição hipócrita, vivem de esmolas principalmente de agricultores, suas Igrejas se localizam em APPs pelo menos a sua maioria, deveriam serem derrubadas como eles querem destruir as dos outros? talvez o crescimento aval assador dos evangélicos no Brasil se explique pela posição unilateral e nazista da igreja brasileira católica apostólica romana.

    0
  • Luiz Prado Rio de Janeiro - RJ

    Sera que ele consegue sair das generalidades ideologicas que os assessores colocaram na mesa dele e ser mais especifico, com exemplos concretos?

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Vamos combinar que os posicionamentos da CNBB, não tem

    nada a ver com o catolicismo e até mesmo o Vaticano já se

    indispôs várias vezes com eles. A igreja tem facções, quem

    não lembra da TFP e das CEBs (comunidades eclesiais de base)

    on se criou a fulgurante Marina Silva, que depois abandonou porque

    sua pseuda soberba intelectualidade detectou que Deus era superior a ela...

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Na Igreja Católica estão os inocentes úteis que são usados nas horas de necessidade...Na década de 50 eu entrava na igreja vendo garras de sangue com a inscrição de "Comunismo" na época do período de "Caças as bruxas" dos simpatizantes desta ideologia nos Estados Unidos...Querem melhor aliado que o catolicismo no maior pais católico do mundo? Fico admirado da CNBB embarcar nesta canoa furada,Sou católico, porisso faço este alerta, pois ainda ha tempo de fazerem uma correção...

    0
  • Valter Antoniassi Fátima do Sul - MS

    Valei meu jesus cristim!!! Ninguém merece,tendo a CNBB por perto,nao precisa de inimigo...,sai pra lá conluio de desocupados inúteis,se não tem o que fazer,parem de meter o bedelho aonde foram chamados...

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    PESSOAL REPAREM BEM NA MENSAGEM DA CNBB ELA E"

    ALARMISTA, QUER BOTAR MEDO---.ATE NO CLERO TEMOS FALTA

    DE HONESTIDADE>

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Se preservação de margens dos rios fosse correta, DEUS não teria criado o paraíso entre os Rios Tigre e Eufrates. Já imaginaram uma APPs nas margens do Rio Nilo, nem mesmo José teria salvado o Egito. Desde que se conhece a humanidade as populações sempre se rebuscaram das margens ribeirinhas para sobrevivência. Então agora querem dizimar a populações carentes que sobrevivem da natureza e da água que Deus ofereceu para a humanidade. Então tá, vamos matar os pobres de fome em favor de um falso ambientalismo. Ainda se dizem defensores da humanidade, sim porque sem alimentos as populações carentes sucumbirão à morte por inanição, assim como, já morrem nossos velhos e crianças empilhados nos corredores dos hospitais e nossas crianças se alimentam nos lixões disputanto alimentos putrefatos com os urubus. Porque não fazem uma cruzada, como o fazem esse fajutos ambientalistas, em favor da VIDA HUMANA.

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    A IGREJA SEMPRE FOI RETROGRADA DESDE OS TEMPOS DE

    GALILEO GALILEI, E" TRISTE CONSTATAR QUE CONTINUA

    OBSOLETA----ESta' perdendo fieis ano apos ano mas os cabeças duras

    sao de uma irracionalidade espantosa.

    0
  • Valdir Edemar Fries Itambé - PR

    Amigos do Noticias Agrícolas, ...A falta de ética esta hoje impregnada entre muitos dirigentes da Igreja Católica que estão a serviço de movimentos "políticos e sociais" dos quais seus princípios ideológicos comungam com a velha ditadura comunista... A ignorância destes mesmos dirigentes é uma das causas do aumento dos conflitos no campo. Prova disto é o Pronunciamento de Dom Leonardo, uma vez que vem a publico inflamar um debate sem ter conhecimento de causa, pois mal sabem eles da CNBB e CPT, que o maior volume de produto primário exportado como a SOJA, as lavouras estão implantadas em campo aberto e não em áreas de APPs, Se não sabem, devemos informar que são os lucros aferidos com a venda destes produtos ao exterior que tem dado condições do Governo manter os programas sociais que a CPT e CNBB tanto lutam e defendem.

    Talvez na hora da SANTA CEIA a preferencia de Dom Leonardo Steiner seja pelos vinhos Chilenos e não mais pelos produzidos nas serras Gaucha, vamos além, em sua refeição matinal prefira os cafés produzidos na Colômbia e não os de Minas Gerais e de Espirito Santo, em suas refeições principais deva preferir o arroz da Argentina ou talvez da Tailândia e não mais os do Rio Grande do Sul, os hortigranjeiros por ele consumido não devem ser procedentes do cinturão verde formado as margens dos rios. Acredito que esta gente prefira a maça, mangas, pêssegos e os figos importadas da Argentina e do Chile, Banana da Amazônia Peruana e Boliviana, afinal os produtores destes outros paises precisam aferir maiores "lucros". Quanto aos Brasileiros de Santa Catarina que produzem as frutas nos morros, sem falar das carnes de suíno e frango, também os Nordestinos que produzem as margens do São Francisco estão em APPs e estas devem ser recuperadas e recompostas com as FLORESTAS, afinal o que se produz em APPs NÃO É PRODUTO DE GRANDE VOLUME DE EXPORTAÇÃO, DA POUCO LUCRO, e "lucro" é o que esta gente envolvida com movimentos sociais e ideológicos mais quer para suas organizações. Pouco lucro não é interessante para eles.

    Enfim pra que SANCIONAR UM NOVO CÓDIGO FLORESTAL se a SOJA e o BOI continuarão sendo produzidos em grande escala mesmo que o texto seja vetado pela Presidenta Dilma. As exportações destes principais produtos devem continuar a crescer, como já vem crescendo a cada ano através do uso de novas tecnologias, e é esta produção que deve continuar garantindo o superávit da balança comercial Brasileira.

    Porém se a Presidente vetar o texto aprovado na Câmara dos Deputados, saiba você Ilustre Dom Leonardo Steiner que serão muitos os católicos que deixarão suas propriedades e os CONFLITOS IRÃO SIM AUMENTAR AINDA MAIS.

    O veto é SINÔNIMO DE CONFLITO e aumento de conflito é o que menos precisamos nos dias de hoje, a não ser que a CNBB e a CPT tenha descoberto um NOVO PARAÍSO para alojar todos os ribeirinhos e todos os pequenos produtores rurais que vivem hoje e produzem sua subsistência dentro de áreas consideradas APPs.

    Os "LUCROS" das grandes exportações financiam GRANDES PROGRAMAS DE GOVERNO em beneficio de todos os BRASILEIROS.

    Também são dos pequenos "LUCROS" que restam aos Produtores rurais de soja, do Boi, das frutas, dos suínos, dos frangos, dos hortigranjeiros, do arroz, do vinho e do pão que os produtores rurais permanecem no campo. ... Se a CNBB e a CPT tiverem como objetivo diminuir os conflitos certamente estaria pedindo APROVA DILMA, do contrário serão muitas as FAMÍLIAS que serão desalojadas e DEIXARÃO DE PRODUZIR ALIMENTO.

    Por Valdir Edemar Fries - Católico.

    [email protected]

    Produtor Rural em Itambé - Pr. (...continuarei sendo, se a legislação permitir)

    0
  • amarildo josé sartóri vargem alta - ES

    Caro João Batista. Sou católico, mas muito me estranha a posição e essa colocação da CNBB, criticando o novo Código Florestal e classificando-o como um “modelo equivocado de desenvolvimento", que prioriza o agronegócio em detrimento das populações tradicionais. Pelo contrário, as populações tradicionais é que serão beneficiadas, pois poderão continuar a ocupar e produzir alimentos nas terras mais férteis localizadas as margens dos rios, onde, diante da qualidade do solo e o acesso à água, possibilitará a produção com redução dos seus custos. Agora, se as populações referidas são os indígenas, os extrativistas ribeirinhos da Amazônia, e que neste mesmo espaço já falei que são merecedores e precisam continuar a sobrevier com dignidade, restam mais de 65% do território nacional preservado que com manejo adequado acomodariam essas populações, como vem ocorrendo desde o descobrimento e a passagem do Padre José de Anchieta. Agora, se a população a que se referem são os chamados sem terras arrebanhados por diversos interesses, invasores e baderneiros(com exceções), protegidos pela pastoral da terra, certamente a CNBB tem razão, os conflitos continuarão e aumentarão.

    0