Questão indígena: Adiamento de reunião com ministro mantém clima de tensão em Faxinalzinho (RS)

Publicado em 12/05/2014 10:44 e atualizado em 12/05/2014 14:33 494 exibições

Com a tensão dos últimos dias, a esperança de solução para o conflito por terra entre agricultores e índios em Faxinalzinho, no norte do Estado, foi adiada para o próximo dia 22.

Nesta data, uma reunião está programada para ocorrer em Brasília, com a mediação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e participação de líderes indígenas, do setor agrícola e representantes do governo estadual.

O impasse gira em torno da reivindicação dos índios pela ampliação da aldeia Votouro, área de 3,5 mil hectares onde vivem cerca de 360 famílias, na divisa entre Faxinalzinho e Benjamin Constant do Sul. Com a alegação de que os seus ancestrais viveram no local, os caingangues pedem a anexação de terras contíguas a Votouro, que somam cerca de 6 mil hectares.

Confira a notícia na íntegra no site do Zero Hora

Propostas radicais ganham força entre índios no RS

A semana começa com o fortalecimento de propostas radicais entre os índios para resolverem a disputa de terras com os agricultores, uma consequência da prisão de lideranças caingangues do acampamento de Kandóia pela Polícia Federal (PF) na sexta-feira. Os indígenas foram detidos suspeitos da morte a tiros e pauladas dos agricultores e irmãos Alcemar, 42 anos, e Anderson de Souza, 26 anos, em Faxinalzinho, cidade agrícola no Norte do Estado. As mortes aconteceram no final de abril. O fim de semana foi marcado por conversas intensas entre os caciques envolvidos na luta pela terra.

Leia a notícia na íntegra no site do Zero Hora

 

Fonte:
Zero Hora

0 comentário