Produtividade da soja livre em Rondônia supera média nacional

Publicado em 21/05/2012 18:01 1201 exibições
Os resultados do Programa Soja Livre em Rondônia foram apresentados na última sexta-feira (18), durante reunião realizada no Campo Experimental da Embrapa Rondônia em Vilhena.
De acordo com os pesquisadores da Embrapa Rodrigo Brogin e Vicente Godinho, algumas variedades de soja livre (convencionais, ou não geneticamente modificadas) avaliadas nas Unidades Demonstrativas (UD’s) do Programa, apresentaram produtividades médias próximas a 4.000 kg/ha, valor significativo e acima das médias observadas no país e no estado, de 2.665 kg/ha e 3.204 kg/ha, respectivamente, segundo o levantamento da produção de soja realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em maio de 2012.

“Com a divulgação de variedades de soja livre, o Programa foi uma oportunidade de a Embrapa mostrar que possui tecnologias que garantem produtividade e competitividade no estado”, destaca o engenheiro agrônomo Frederico Botelho.

As maiores médias de produtividade foram observadas na UD instalada no município de Castanheiras, na Zona da Mata do Estado, com valores maiores que 5000 kg/ha. O produtor Davi Maia, proprietário da área onde a UD foi instalada, está satisfeito com os resultados. “Para a próxima safra, vou semear novas cultivares da Embrapa, baseado nos resultados obtidos na UD em minha propriedade”, destaca Davi Maia.

Produtividade das cultivares testadas em Rondônia
Com a apresentação dos resultados das 18 cultivares de soja convencional desenvolvidas pela Embrapa e testadas nas cinco UD’s do Programa Soja Livre em Rondônia (Porto Velho, Ariquemes, Castanheiras, Cerejeiras e Vilhena), foi possível observar o excelente potencial produtivo e a grande adaptação de diversas cultivares ao estado, o que reflete em mais opções de cultivo para os produtores.

De acordo com Brogin, cultivares já indicadas para o estado, como a BRS Jiripoca, a BRSGO Luziânia e a BRS Gralha, confirmaram seu potencial produtivo na média geral das cinco UD’s, produzindo mais de 60 sacas por hectare (sc/ha). Outra cultivar, a BRSGO 8660, ainda em processo de indicação de cultivo para o estado, vem se destacando em experimentos realizados pela Embrapa e também foi uma das mais produtivas nas UD’s, com média de 66,2 sc/ha. “Isso reflete o potencial do Programa de Melhoramento de Soja da Embrapa em gerar novas cultivares de soja livre, cada vez mais produtivas e adequadas às necessidades dos produtores”, destaca o pesquisador.

Produção de soja em Rondônia: meio ambiente e economia
Com o cultivo da soja convencional, o Programa demonstra que é possível conciliar a recuperação de áreas degradadas e a geração de emprego e renda com práticas ambientais. Isso porque a soja permite a economia no uso de adubos derivados de fontes não renováveis, por realizar a fixação biológica do nitrogênio, e possibilita a recuperação de pastagens degradadas, com a intensificação do uso da terra.

Segundo o pesquisador Vicente Godinho, Rondônia possui mais de 1 milhão de hectares de áreas de pastagens degradadas com potencial para o plantio da soja. “A soja traz um grande benefício para áreas de degradadas, pois o manejo adotado para esta cultura recupera o solo para uma pastagem com maior capacidade de suporte de animais por área, o que torna o grão atrativo para o estado”, explica Godinho.

Além disso, o uso intensivo de tecnologia faz com que o agronegócio da soja movimente importante cadeia de fornecedores de insumo e tecnologia, gerando emprego e renda. “Com investimento em tecnologia o produtor de Rondônia pode produzir mais em menor área, diminuindo a pressão sobre a floresta. O Programa Soja Livre ainda é uma importante iniciativa para garantir a soberania brasileira em tecnologia para o agronegócio, através da divulgação de variedades competitivas de soja da Embrapa”, enfatiza o chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Rondônia, Samuel Oliveira.

Programa Soja Livre Rondônia
O Programa Soja Livre Rondônia é parte de uma proposta de produção sustentável e economicamente viável para o estado. Resultado da parceria entre Embrapa, Associação Brasileira de Produtores de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange), Associação dos Produtores de Soja de Rondônia (Aprosoja/RO) e parceiros como a Boa Safra Produtos Agropecuários, o Grupo AMaggi, a Sementes Quati e o Instituto Federal de Rondônia.
Tags:
Fonte:
Embrapa Rondônia

0 comentário