Plantio de soja está parado em Mato Grosso por falta de chuva

Publicado em 15/10/2014 17:57 309 exibições
Preocupação do setor foi destacada durante lançamento para a imprensa do Circuito Tecnológico – Etapa Soja

O plantio da safra de soja 2014/15 está parado em Mato Grosso, maior estado produtor do grão. A informação foi confirmada por Ricardo Tomczyk, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), nesta quarta (15) durante coletiva de imprensa para o lançamento do Circuito Tecnológico – Etapa Soja.
 
“O plantio está com atraso significativo e, com certeza, isso se traduzirá em queda de produtividade, janelas inadequadas de plantio e incidência de doenças”, alertou Tomczyk. A previsão do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) é de produção de 27 milhões de toneladas de soja. “Estes números devem ser revisados para baixo devido a este atraso”, acredita o presidente da Aprosoja-MT.
 
A preocupação ainda incide sobre as segundas safras do estado, especialmente milho e algodão. Em uma safra normal de soja, nesta época, os produtores já teriam uma perspectiva de área que plantariam com milho. Com o atraso, entretanto, só na última semana de outubro é que deve ser possível medir a área a ser semeada com outras culturas.
 
O Circuito Tecnológico – Etapa Soja irá mensurar o impacto do atraso no plantio. O objetivo é verificar as consequências da seca em termos operacionais. “O produtor terá que trabalhar com mais velocidade e maior empenho para não fugir tanto da janela de plantio”, acrescenta Tomczyk.
 
Nesta edição, a meta é visitar 500 propriedades rurais em duas semanas de expedição. As oito equipes técnicas (formadas por agrônomos, consultores, universitários e patrocinadores) devem recolher 700 amostras de sementes e 100 amostras de fertilizantes, além de aplicar questionário para entender os anseios do produtor nesta safra. Com base nestes dados, a Aprosoja-MT terá uma raio-x da safra de soja 2014/15 e poderá trabalhar ações para a melhoria do setor.
 
Além disso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT), também realizador do evento, busca entender as necessidades do produtor rural em relação à qualificação e legislação rural. “Levamos conhecimento para o campo e, para isso, temos que entender o que se passa lá. Só conversando sobre as dificuldades na mão-de-obra e na legislação brasileira é que poderemos formatar cursos que ensinem a melhorar a atividade”, disse Normando Corral, presidente em exercício do Sistema FAMATO/Senar.

Tags:
Fonte:
Aprosoja MT

0 comentário