Com previsão de menor volume de chuvas, há produtores com medo de "plantar no seco e seguir no seco" na Argentina

Publicado em 28/09/2017 14:56
127 exibições

Durante o lançamento da Safra de Verão 2017/18 que foi realizado ontem (27), na sede da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, o especialista em agroclimatologia Eduardo Sierra destacou o cenário climático previsto para a safra de verão 2017/18 na Argentina.

"Tudo caminha para uma safra de grande produtividade, mas os produtores estão com medo de plantar no seco e seguir no seco", disse. A tendência, segundo ele, é que as chuvas continuem aumentando na primavera e que, no verão, elas comecem a diminuir, passando para uma diminuição muito maior no outono. Entretanto, "isso vai ser confirmado ao longo dos meses e não deve ser tomado como certeza", salientou o especialista.

O cenário atual para a Argentina, na visão de Sierra, é compativel com um El Niño, com chuvas fortes e inundações se agravando e uma primavera bastante úmida, o que permitirá um plantio bastante adequado na zona semi-árida do Oeste argentino. No verão, o La Niña, que também não é uma certeza, pode se fazer presente, mas acredita-se que sua incidência será "normal".

Para o outono, existe um grande ponto de interrogação. Pode ser um outono compatível com um La Niña, de característica seca, o que é bom para alguns e ruim para outros, como o sudoeste semiárido, o sul de La Pampa e o sudoeste de Buenos Aires. Para a Zona Núcleo, o fenômeno não teria muita importância e poderia até ser bom, pois diminuiria a pressão das enfermidades. Para as zonas das Bacias dos Rios V em Córdoba, Salado em Buenos Aires e Salado no norte de Santa Fe a situação pode ser muito boa, pois a água irá baixar e os produtores poderão colher - no último ano, grande parte da produção foi perdida.

A conclusão, para Sierra, é de que nos anos de uma grande safra em volume as zonas mais baixas são inundadas. Contudo, nos anos em que essas zonas secam, se perde um pouco nas zonas semiáridas.

Tradução: Izadora Pimenta

Fonte: Infocampo

0 comentário