Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil

Publicado em 17/01/2019 18:08
1138 exibições

LOGO nalogo

Os preços da soja negociados na Bolsa de Chicago operaram durante todo o dia em campo positivo, intensificaram seus ganhos ao longo do pregão e terminaram a sessão com altas de mais de 13 pontos nos principais vencimentos. 

O mercado se comportou de forma técnica, retomando parte das últimas baixas, levando o março/19 de volta ao patamar dos US$ 9,00 por bushel, fechando com US$ 9,07 nesta quinta-feira (17), enquanto o maio/19 foi a US$ 9,21. 

Com poucas novidades, os traders se agarram às poucas informações que circulam no mercado, incluindo as perdas observadas no Brasil e as previsões climáticas para os próximos dias no país. Além disso, as recompras de posições por parte dos fundos também contribuiram. 

À Reuters Internacional, o analista de mercado da Summit Commodities disse que "ainda está sendo vista uma cobertura de posições depois das vendas generalizadas da última terça-feira", quando o mercado ainda especulava sobre os rumores do avanço - considerado tímido por alguns profissionais - das negociações comerciais entre China e Estados Unidos.

Nos próximos dias 30 e 31 de janeiro, as delegações chinesas e norte-americana voltam a se encontrar e o mercado espera por novidades sobre o desenrolar das conversas, e principalmente mais detalhes concretos das próximas ações de ambos. 

Também no radar dos traders segue a paralisação do governo de Donald Trump. São quase 30 dias servidores parados e, portanto, o mesmo período sem o mercado receber dados atualizados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), entre eles as informações diárias e semanais das vendas para exportação, e o relatório mensal de oferta e demanda - WASDE - que deveria ter sido reportado no último dia 11. 

"A especulação não possui fortes “munições” (notícias) para manter uma tendência específica. Além do mais, assim como estamos ressaltando há semanas, sem os relatórios do USDA o mercado fica sem uma definição de tendência de longo-prazo, enfrentando dificuldades de sustentar as altas ou pressionar as quedas. O retorno do USDA às publicações rotineiras ainda é indefinido, uma vez que o recesso do funcionalismo público dos Estados Unidos continua até que Trump assine o Orçamento do Governo para 2019", explicam os analista de mercado da ARC Mercosul.

Mercado no Brasil

Os preços subiram no mercado brasileiro nesta quinta-feira, acompanhando os ganhos na Bolsa de Chicago e também do dólar frente ao real. Embora pontuais no interior do país, as altas chegaram a superar os 2%, como foi o caso de São Gabriel do Oeste/MS, onde a saca terminou o dia com R$ 63,50. 

Nos portos, ainda falta força aos preços. Em Paranaguá, apenas o spot subiu tímidos 0,27% para R$ 74,20 por saca, enquanto o fevereiro permaneceu nos R$ 74,40. Já no terminal de Rio Grande, estabilidade nos dois casos, com R$ 73,70 e R$ 73,30 por saca, respectivamente. 

Tags:
Por Carla Mendes
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário