Soja 11/12: Produção sul-americana deve totalizar 143,65 mi toneladas

Publicado em 29/08/2011 16:52 428 exibições
“Temos alguns importantes limitantes nesse processo de avanço da soja, relacionados com o aumento de 5 a 10% nos custos de produção” afirma, Flávio França Júnior, analista sênior da consultoria.
A produção de soja da América do Sul deverá totalizar 143,658 milhões de toneladas na temporada 2011/12, com crescimento de 6% sobre o total colhido em 2010/11, de 136,059 milhões de toneladas. O número faz parte de estimativa divulgada pela consultoria SAFRAS & Mercado, que indica ainda crescimento de 2% na área a ser colhida, que envolveria 48,753 milhões de hectares.

 

        O levantamento aponta crescimento de 1% na produção brasileira, que ficaria em 75,24 milhões de toneladas. A safra da Argentina está estimada em 55,39 milhões de toneladas, com aumento de 12%. Os paraguaios deverão colher 8,744 milhões, com incremento de 4%. A produção da Bolívia está estimada em 2,384 milhões de toneladas, aumentando 5% sobre a temporada anterior. A safra do Uruguai deverá crescer 23%, atingindo a casa de 1,9 milhão de toneladas.

"O tradicional levantamento de intenção de plantio para a safra 2011/12 de soja na América do Sul realizado por SAFRAS & Mercado nos trouxe pelo menos duas importantes informações: que apesar mais uma vez de algumas limitações de ordem política, a área tende a crescer novamente na região; mas desta vez, ao contrário do sinalizado inicialmente no ano que passou, com sentimento também positivo para a produção", avaliou o analista de SAFRAS, Flávio França Júnior.

Isso significa que a cultura deve confirmar novo recorde de plantio na temporada, e com grandes chances de ter algum aumento também na produção sobre o recorde da safra atual. No lado positivo para a determinação dessa nova safra temos alguns destaques, como os bons resultados econômicos obtidos na safra 2010/11, os elevados preços atuais observados no mercado internacional, e a expectativa de manutenção de mercado firme também para o próximo ano.

"Mas por outro lado temos alguns importantes limitantes nesse processo de avanço da soja, relacionados com o aumento de 5 a 10% nos custos de produção, a tendência de alguma recuperação na área de milho, e pelos embates políticos que atingem o setor agrícola como um todo, de natureza fundiária no Paraguai e Bolívia, e de natureza comercial e tributária na Argentina. E, evidentemente o mais importante deles, a elevada insegurança de natureza climática, considerando que a safra deve acontecer em ambiente de neutralidade (sem a presença dos fenômenos El Nino e La Nina)", completa o analista.

Clique aqui para ampliar!

Tags:
Fonte:
Agência Safras & Mercado

0 comentário