Clima afeta safra, mas aumenta teor de açúcar por tonelada

Publicado em 08/05/2012 09:21 345 exibições
A seca voltou a castigar as lavouras de cana de açúcar neste início de ano e de provocar uma perda de 16% % na safra 2012/13 nas lavouras cultivadas pela Copagra. A destilaria da Cooperativa voltou a processar este mês e a safra deve durar até outubro. A estimativa é do gerente do Departamento Agrícola, Ricardo Ramos afirmando que a redução da produtividade é constatada por todas as usinas e destilaria do centro sul do país.

A Copagra investiu na renovação dos canaviais, mas o crescimento de 15% no plantio ainda não será revertido em maior produtividade. Em 2011, foram plantados mais de 2 mil hectares. Neste ano está previsto o plantio de 2 mil hectares. O rendimento industrial da safra está projetado em 85,15 toneladas/ cana e o agrícola ao redor de 60 toneladas de cana por hectare.

O plantio da cana-de-açúcar e o início da safra de 2012/13 foram prejudicados devido às variações climáticas e a escassez de chuva nos últimos meses. Ele estima que a cana plantada deva ser colhida em meados de 2013. Ramos informou também que, ao contrário do que aconteceu em 2010, quando as chuvas verificadas em setembro reduziram o rendimento industrial na produção de álcool, as precipitações verificadas este ano acabaram reduzindo a produtividade industrial do setor.
Mais etanol
A qualidade da cana, no entanto, deve melhorar. Também por causa do clima, esta safra não deve enfrentar o florescimento excessivo, que reduz o teor de açúcar. Com maior produtividade de sacarose por tonelada, também ocasionada pela concentração da moagem em menor período de tempo, a destilaria devem aumentar a produção de álcool lt/t cana. Segundo Cícero de Sá, gerente industrial, as estimativas refletem para uma produção de 28.862m³ - AEHC (álcool etílico hidratado comum) e uma moagem de 353.000 toneladas cana nesta safra. A colheita teve início neste mês e até o momento segue tranquila.
Destilaria passou por revisão geral na entressafra
O impacto climático afetou diretamente no cronograma industrial, e o início da safra 2012/13, que estava previsto para o dia 22 de março, foi adiado, para o dia 17 de abril.

A manutenção no período da entressafra é fundamental para o bom funcionamento dos equipamentos durante a safra. Neste ano, além da manutenção preventiva, corretiva e preditiva a destilaria foi revitalizada, incluindo pequenas reformas até então nunca feito antes e investimentos nas trocas das coberturas de barracões e pintura geral do complexo industrial.

“Como trabalhamos 24 horas por dia no período de safra, e lidamos com produtos bastante mente abrasivo, corrosivo, com altas temperaturas e dentre outros fatores, o desgaste dos equipamentos da indústria é considerável. Em  ritmo de safra, uma parada para substituição ou manutenção de peças ou consertos pode significar grandes prejuízos. Por isso trabalhamos mais com a manutenção preventiva do que corretiva”, explica Cícero de Sá.

Toda a destilaria passou por revisão, foram substituídas peças, equipamentos e efetuados concertos quanto ao possível. “A maior parte dos trabalhos foram idealizados por nossa equipe de trabalho, colaboradores da Copagra. Só mandamos os equipamentos para manutenção externa quando a demanda mão de obra é especifica e não nos disponibilizávamos de recursos tecnológicos para tais serviços, mas ainda, obedecendo a critérios de manutenção sistematicamente organizado, e só enviado os equipamentos que realmente eram necessários”, comenta ainda Cícero de Sá. 
Copagra investe R$ 1,3 milhão em máquinas agrícolas
Nos últimas exposições agrícolas, a empresa Valtra apresentou ao mercado, novos modelos de tratores que foram desenvolvidos para clientes que buscam alta tecnologia e produtividade. Além disso, maior facilidade de manutenções periódicas, melhor ângulo de visão para os operadores, baixo consumo de combustível e possui também um sistema hidráulico de três pontos eletrônicos que utiliza bomba de vazão variável para facilitar os ajustes na utilização de implementos.

Visando reduzir os índices de falhas mecânicas, aumentar a vida- útil da frota, promover economia de combustível, de tempo e dinheiro, a Copagra investiu R$ 1.3 milhão em oito tratores e duas carregadeiras da marca. As novas máquinas agrícolas de alta tecnologia atenderão as tarefas executadas pela Cooperativa nos carnavais da região. “Os tratores novos já estão atuando no campo”, explica Ricardo Ramos, gerente do departamento agrícola.

O presidente da Copagra, Jonas Keiti Kondo, afirma que a Cooperativa deve investir em novos maquinários até o final do ano. “O caso dos tratores do setor agrícola, onde somente para manutenir consumia-se cerca de R$ 500 mil, assim, os valores até agora gastos com manutenções compensam os investimentos em máquinas novas e modernas, porquanto além da rentabilidade maior (tempo de horas máquinas) dos serviços, melhora-se a qualidade do trabalho produzido, e os valores economizados da conservação são utilizados para abatimento das parcelas do financiamento dos novos. Foram feitas cotações com quatro empresas e o melhor preço obtido venceu a disputa. Com esse espírito foram adquiridos oito tratores novos e duas carregadeiras. Novas aquisições estão no plano até o final do ano”, explicou.
Fonte:
Copagra

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário