Em meio preocupações com demanda, açúcar recua mais de 1% em NY e Londres

Publicado em 27/09/2021 14:40 178 exibições
Apesar da baixa, Unica reportou queda acima do esperado na produção do CS na 1ª quinzena de setembro

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado futuro do açúcar encerrou a sessão desta segunda-feira (27) com perdas expressivas nas bolsas de Nova York e Londres, apesar dos dados de baixa produção quinzenal no início de setembro no Centro-Sul do Brasil.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York saltou 1,10%, cotado a US$ 20,29 c/lb, com máxima de 20,34 c/lb e mínima de 20,04 c/lb. No terminal de Londres, o tipo branco registrou alta de 1,02%, a US$ 513,40 a tonelada.

O dia foi de atenção dos operadores para a demanda, mas também para o financeiro, com valorização do dólar sobre o real, que impacta as exportações, além de realização de lucros depois de alta de mais 1,5% na semana anterior.

"O spread (diferença do outubro/21 para março/22) é um fator muito negativo, implicando não só que estaremos carregando um superávit no próximo ano, mas que, embora a oferta de açúcar CS (Centro-Sul) Brasil tenha diminuído 6,5 a 7,0 milhões de toneladas, a demanda caiu mais", disse a corretora Marex em uma atualização do mercado.

Açúcar - Foto REUTERSEmmanuel Foudrot
Fragilidade da demanda se sobressaiu aos dados da Unica da 1ª quinzena de setembro - Foto: Reuters

"O consumo de açúcar permanece do lado negativo. O medo de que a Covid volte e possa reduzir a atividade econômica e a demanda ainda existe", complementou em relatório de mercado o analista da Price Futures Group, Jack Scoville.

A fragilidade da demanda preocupa tanto o mercado neste início de semana que, mesmo com números de queda na produção de açúcar na 1ª quinzena de setembro no Centro-Sul do Brasil, os preços externos seguem registrando desvalorização.

Na primeira metade de setembro, a produção de açúcar caiu 20,48%, a 2,55 milhões de toneladas. A produção quinzenal de hidratado alcançou 1,18 bilhão de litros nos quinze dias iniciais do mês, registrando queda de 25,08%.

A queda na produção, inclusive, veio acima das expectativas de mercado, que apontavam uma queda média de 16,7% no ano, totalizando 2,671 milhões de t.

MERCADO INTERNO

Depois de altas na última semana, o indicador do açúcar sofreu um repique. Como referência, na véspera, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, caiu 2,58%, a R$ 143,81 a saca de 50 kg.

No Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar caiu 0,82%, a R$ 135,14 a saca, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração o preço FOB cotado a US$ 20,31 c/lb e alta de 0,83%.

ETANOL

O Indicador do etanol hidratado CEPEA/ESALQ - São Paulo teve desvalorização de 1,12% na última semana, a R$ 3,2999 o litro, enquanto que o anidro saltou 0,51%, a R$ 3,8220 o litro.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário