Previsão menor para safra de cana é por conta da estiagem, afirma Datagro

Publicado em 26/07/2010 07:34 e atualizado em 26/07/2010 08:38 651 exibições
Por causa da forte estiagem que deixou algumas regiões do Centro-Sul sem chuva por até 130 dias, a consultoria Datagro revisou sua estimativa de moagem de cana-de-açúcar da safra 2010/11 para 585 milhões de toneladas, ante as 604 milhões previstas anteriormente. Se os números se confirmarem, a moagem ainda será 8,1% maior do que as 541 milhões de toneladas processadas no ciclo 2008/09.

A seca prolongada prejudicou o desenvolvimento da cana que será colhida no fim da safra - entre outubro e dezembro - e, por isso, a produção de açúcar deve ser reduzida em 500 mil toneladas em relação à estimativa anterior, atingindo 32,9 milhões de toneladas no Centro-Sul. Assim, explicou Plínio Nastari, presidente da Datagro, o mix ficará mais alcooleiro, pois a cana processada tende a ter menor qualidade de açúcar (ATR) por tonelada na reta final da moagem. De 58,3%, o percentual médio da cana destinada à produção de etanol deve subir para 58,5%.
Foto Destaque

A Datagro reduziu também sua previsão para exportação de álcool do país - de 3,75 bilhões de litros para 1,72 bilhão de litros. A retração deve-se principalmente à menor exportação - direta e indireta - de etanol para os Estados Unidos. "No entanto, a demanda da alcoolquímica continua firme", disse. O excedente que não for exportado deve ser absorvido no mercado interno.

Com a produção menor de açúcar e álcool e a demanda dos dois produtos em crescimento, a tendência é de valorização de preços e menor volatilidade no mercado este ano. Apesar dos fundamentos positivos, Nastari não acredita que haja ambiente para retomada de investimentos de grande porte no setor. "O momento ainda é de redução da alavancagem".

A estimativa da Datagro é de que há um ano o setor sucroalcooleiro tinha um endividamento na casa dos R$ 44 bilhões, valor que hoje deve estar entre R$ 37 bilhões e R$ 38 bilhões.

Ainda que os investimentos em novas usinas comecem a ser retomados em 2011, estes serão feitos com mais disciplina, após a última crise. Segundo levantamento da Datagro, que em três meses deve abrir um escritório em Londres, o custo industrial para implantação de uma usina com capacidade para moer 2,5 milhoes de toneladas é de US$ 110 por tonelada, ante os US$ 40 necessários em 2000. A taxa de retorno do investimento está entre nove e dez anos, segundo a Datagro.

Fonte:
Valor Econômico

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Será umas verdadeira redenção para o setor. Veja só, o percentual estimado de cana para ser destinada à produção de etanol era de 58,3 % e agora é nada menos do que 58,5% - Fico perplexo que haja noticiaristas capazes de destacar pomposamente diferenças tão pequenas, obtidas sempre na base da chotometria. Outro detalhe, quando chove se diz que diminui o teor de açúcar (sacarose) na cana ... para mim o que a chuva faz é aumentar a água na cana!

    0