Preços do suínos batem nos R$ 100/@ em SP com demanda interna e exportações aquecidas.

Publicado em 21/10/2014 10:37 e atualizado em 21/10/2014 15:24 190 exibições
Suínos: Preços batem nos R$ 100,00/@ em SP. Mercado é favorecido pela alta da carne bovina e demanda aquecida deve proporcionar sustentação dos bons preços. Custos de produção menores e exportações fortes complementam o cenário positivo para as cotações.

Nesta semana, o preço do suíno vivo bateu recorde na Bolsa de Suínos de São Paulo, chegando a R$ 100/@, o equivalente a R$ 5,33/kg. Segundo Valdomiro Ferreira, presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), o mercado ainda tem margem para novos crescimentos, visto os valores atuais para a arroba bovina. Atualmente, o boi gordo está a R$ 135/@ em São Paulo, o que traz uma relação de troca de 74%.

Além do bom cenário no mercado interno, a demanda internacional tem impulsionado os bons preços. Ferreira explica que com a tonelada está sendo negociada a US$ 4.410 , que com um câmbio de R$ 2,40 o valor por animal chega a R$ 10,58. Quando comparado com o valor da carcaça no mercado interno, de R$ 7,50, o valor pago no mercado internacional chega a ser 35% superior, o que tem alavancado ainda mais os preços.

A Rússia têm mantido um bom ritmo de exportações e atualmente o Brasil exporta cerca de 43 mil toneladas por mês.  Segundo Valdomiro, a demanda russa poderia adquirir muito mais que esta quantia, se houvesse animais disponíveis para exportação. Com isso, a relação de comercialização é de 80% destinado para atender o mercado interno e 20% para o mercado internacional.

Os preços na bolsa de suínos de São Paulo têm alavancado altas em demais regiões do país, como Paraná e Santa Catarina. Segundo Ferreira, antigamente Minas Gerais tinha o maior preço de negociação, mas com a expansão dos plantéis, os preços tiveram redução. Já em São Paulo a situação é oposta, com a redução da oferta de animais e o maior consumo no estado, os preços são maiores. Com o novo valor da arroba, os valores de negociação de outras regiões deverão sofrer reajustes nos próximos sete dias. Valdomiro também explica que os preços do Paraná e Santa Catarina estão ajustados ao de São Paulo, já que o custo de transporte para os paulistas é de R$ 0,30 a R$ 0,40 a mais que em outras regiões.

Os custos de produção também estão em bom momento, visto que os preços dos grãos têm se mantidos atrativos aos criadores. Na crise de 2012, a arroba do suíno vivo girava em torno de R$ 30, com o custo da saca de milho por R$ 34. Já a atual relação é possível comprar quatro sacas por cada arroba. “Melhor momento, estamos hoje com rentabilidade, é positiva e acima de dois dígitos. Temos observado que o custo de produção, dos grãos principalmente, não tem pressionado os custos de produção”, comemora o presidente.

Atualmente, o mercado brasileiro atende cerca de 77 países, com grandes chances de crescimento, uma evolução que se deu nos últimos 20 anos, principalmente pelo melhoramento genético. Antes, para produzir o quilo era necessário 4 kg de ração, enquanto atualmente essa relação é de 2,3. Outro dado comparativo interessante é o de que cada matriz produzia uma média de 18 a 20 leitões por ano, já agora é de 28 a 30 leitões. 

Por:
Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário