Principal florada dos cafezais em MG deve acontecer nos próximos dias mas sem garantia de 'pegamento'

Publicado em 22/10/2014 13:05 e atualizado em 22/10/2014 17:57 395 exibições
Café: principal florada dos cafezais em MG deve acontecer nos próximos dias com a volta das chuvas, no entanto, condições precárias dos cafeeiros geram dúvidas sobre o pegamento da florada. A safra de arábica em 2015 deve ser 8 milhões de sacas menor do que o estimado inicialmente como potencial de produção.

A safra 2014/15 de café já foi toda colhida no Brasil e deve ter quebra em relação ao ano passado. No entanto, o que mais preocupa os cafeicultores é a safra do ano que vem que segue prejudicada com a seca e pode ter produção menor que a atual.

As lavouras continuam afetadas pela seca e as altas temperaturas nas principais regiões produtoras. De acordo com o fisiologista de café, José Donizete Alves, a situação é crítica. Entretanto, com algumas chuvas que caíram na última semana e previsão de chuva regular para os próximos dias, a florada que deve garantir produção para 2015 já é esperada.

"As chuvas foram poucas, mas desencadearam uma pequena florada em cerca de 30% do parque cafeeiro. Porém, a principal florada ainda não aconteceu, mas em função das últimas chuvas e o aumento da umidade do ar ela deve vir nos próximos dias", diz o fisiologista. No entanto, ainda há dúvidas quanto ao ‘pegamento’ visto que ele só acontece com a manutenção de chuvas regulares.

De acordo com previsão climática da Somar Meteorologia reportada pela Reuters, as regiões produtoras de café em Minas Gerais devem receber chuvas de cerca de 30 mm entre os dias 26 e 30 de outubro que devem cobrir a maior parte do Estado. No início de novembro volumes ainda mais altos entre 70 mm e 100 mm também devem ser registrados.

O fisiologista acredita que mesmo com chuvas nos próximos dias a safra do próximo ano já está comprometida. A florada do café acontece normalmente no início de outubro e estamos esperando uma floração no final do mês e início de novembro. "Com a florada mais tarde o período de frutificação do cafeeiro será diminuído. Nós viemos com um período de três perdas seguidas no período de formação e desenvolvimento dos cafezais", afirma.

E segundo o fisiologia, isso inevitavelmente acarreta perdas. Mesmo que as chuvas dos próximos dias sejam regulares, elas só serão suficientes para garantir o ‘pegamento’ e o estabelecimento inicial de frutificação. "Acredito que haverá uma quebra significativa na próxima safra e isso é irreversível. A safra de arábica em 2015 deve ser de oito milhões de sacas", explica Alves.

A dica do fisiologista é que o cafeicultor que teve a lavoura pouco afetada inicie os tratos culturais para garantir boa produtividade. Já os produtores que tem cafezais depauperados, a melhor alternativa é o esqueletamento. "O cafeicultor já não vai colher quase nada no ano que vem e não há preço que justifique uma produção muito baixa", finaliza.

>> Veja como o mercado repercute a questão climática no Brasil

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário