Soja tem mais um dia de movimentação técnica em Chicago e já se aproxima do piso. Preço justo estaria entre 9 e 9,5/bushel

Publicado em 16/07/2019 17:09 e atualizado em 16/07/2019 21:29
3306 exibições
No Brasil, comercialização da soja segue travada por falta de espaço para novos embarques nos próximos dois meses.
Vlamir Brandalizze - Analista de Mercado da Brandalizze Consulting

Podcast

Entrevista com Vlamir Brandalizze - Analista de Mercado da Brandalizze Consulting sobre o Fechamento de Mercado da Soja

Download

LOGO nalogo

​Nessa terça-feira (16), as cotações da soja fecharam no negativo, com perdas de 14 pontos nos principais vencimentos. Na análise de Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, esses resultados são reflexos mais relacionados ao mercado técnico e financeiro do que nos fundamentos. De acordo com ele, desde ontem o mercado vem testando as mínimas, mas esse cenário deve se reverter após quarta ou quinta-feira.

 

De acordo com Vlamir, o relatório do USDA foi um fator que não justificou essas quedas, já que a melhora de 1% na qualidade das lavouras de soja e milho é insignificante. Por outro lado, o clima americano chama a atenção, já que esta semana as temperaturas nas áreas produtivas devem ser desfavoráveis para a florada das plantas. "Com temperaturas acima de 35 graus, há o abortamento de flores e as lavouras perdem potencial produtivo", explicou.

 

Veja também: EUA: Previsões indicam temperaturas mais amenas na próxima semana

 

O relatório apresentou ainda que 54% das lavouras estão em condições boas e excelentes, o que significa que os 46% restantes estão em condições de regular a péssimo. Para Vlamir, nessas condições a safra americana deve ser de 99 milhões de toneladas e não de 104,5 milhões de toneladas, número apresentado pelo USDA. De acordo com ele, para que os Estados Unidos tivessem uma safra padrão, seria necessário que 60% das áreas estivessem em condições boas e excelentes.

 

Leia mais: USDA surpreende e eleva índice de soja e milho em boas condições nos EUA em 1%

A disputa comercial entre EUA e China é outro fator que continua sendo um limitante, inclusive para o mercado interno. O país asiático tem desacelerado suas compras, mas continua demandando da soja brasileira. Esse mês, até o momento foram exportados cerca de 8 milhões de toneladas de soja e 2 milhões de toneladas de milho. A expectativa é que os números até o fim do mes sejam de 8,5 milhões de toneladas de soja e 4,5 milhões de toneladas de milho, o que representa a capacidade máxima dos portos brasileiros, que é de cerca de 13 milhões de toneladas por mês.

 

Esse cenário faz com que os portos brasileiros não recebam novos embarques pelos próximos 2 meses, sendo que após outubro com a diminuição do embarque da soja, abrirá a oportunidade para novos carregamentos. Numa visão geral, para Brandalizze o preço justo para a soja seria de 9 a 9,5 dólares por bushel.

Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário