Café: Café fecha mais uma semana com altas significativas na bolsa de Nova Iorque

Publicado em 28/02/2014 18:13 797 exibições

Os contratos de café na ICE Futures US, a bolsa de Nova Iorque, tiveram mais uma semana de altas significativas. Até agora as chuvas são irregulares e insuficientes para estancar os danos nas principais regiões produtoras de café do Brasil.

Os agrônomos ainda não têm condições de quantificar as perdas nas safras brasileiras de café 2014 e 2015. É consenso entre eles que o quadro é grave, as perdas são irreversíveis e variam de região para região. Um parágrafo de um relatório elaborado pelo Prof. José Donizeti Alves da UFLA – Universidade Federal de Lavras explicita o que está ocorrendo em nossos cafezais:

“O fato que ninguém contesta é que essa anormalidade meteorológica havia décadas não se manifestava. Pelo menos em termos de intensidade e durabilidade. Infelizmente dessa vez ela veio acompanhada de temperatura e luminosidade extremamente altas e ocorreu/ocorre em fases fenológicas das mais exigentes em termos de água, temperatura e luminosidade adequada”.

Veja o relatório completo no endereço: https://www.redepeabirus.com.br/redes/form/post?topico_id=50671#sthash.V2gVA9eG.dpuf

Teremos de aguardar algumas semanas para os primeiros números chegarem ao mercado.

O mercado físico brasileiro apresentou-se firme e ativo. A queda do dólar frente ao real impediu que os preços do café evoluíssem ainda mais. Os lotes de café arábica mais fracos em bebida e aspecto, e os médios, começaram a ter seus preços reajustados esta semana. Alguns operadores mostram apreensão com o comportamento das bolsas de futuro no exterior durante os feriados de carnaval no Brasil. 

É importante e oportuna a pauta que o presidente executivo do Conselho Nacional do café, Silas Brasileiro, levará para a 112ª Sessão do Conselho Internacional do Café da OIC - Organização Internacional do Café.

Silas Brasileiro vai destacar que o setor produtivo brasileiro considera injusto que os diferentes processos de certificação e verificação coloquem em condições de igualdade as nações produtoras que possuem padrões e exigências tão diferenciadas em relação ao respeito do meio ambiente e às condições de trabalho. 

No Brasil, a atividade cafeeira é desenvolvida com base em rígidas legislações trabalhistas e ambientais impostas pelo Governo Federal. São leis que respeitam a biodiversidade e todas as pessoas envolvidas na cafeicultura e punem rigorosamente qualquer tipo de trabalho escravo e/ou infantil nas lavouras. Vai mostrar que essa legislação é a mais rigorosa entre os países produtores de café.

O Escritório Carvalhaes defende esta posição há muitos anos.

Até o dia 27, os embarques de fevereiro estavam em 1.709.469 sacas de café arábica, e 109.747 sacas de café conilon, somando 1.819.216 sacas de café verde, mais 147.179 sacas de café solúvel, totalizando 1.968.395 sacas embarcadas, contra 1.681.934 sacas no mesmo dia de janeiro. Até o dia 27 os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em fevereiro totalizavam 2.549.113 sacas, contra 2.182.454 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 21, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 28, subiu nos contratos para entrega em maio próximo, 1.080 pontos ou US$ 14,29 (R$ 33,40) por saca. Em reais, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 21 a R$ 528,03/saca e hoje, dia 28 a R$ 557,38/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 100 ponto.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário