Fiscalização identifica agrotóxicos fabricados com ingredientes vencidos desde 2007

Publicado em 10/11/2010 07:57
752 exibições
Registro no Ministério da Agricultura é requisito obrigatório para produção e comercialização de defensivos agrícolas no Brasil.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou, nesta terça, dia 9, cerca de 60 mil litros do agrotóxico Clorpirifós Técnico na fábrica da Fersol Indústria e Comércio S.A, em Mairinque (SP).  A substância não possuía o registro do produto técnico importado da Índia. Além disso, a empresa não possuía registro junto ao Ministério da Agricultura para produzir o referido produto técnico, utilizado para formular o agrotóxico Clorpirifós Fersol 480 EC, autorizado para uso em 14 culturas.

O registro no Ministério da Agricultura é requisito obrigatório para produção e comercialização de agrotóxicos no Brasil.

Agrotóxicos sem registro não passaram por avaliação dos órgãos competentes, portanto são produzidos de forma clandestina e sem nenhuma segurança para a saúde dos trabalhadores rurais e dos consumidores afirma o diretor da Anvisa, Agenor Álvares.

Durante a fiscalização, também foi identificado que mais de dois terços dos estoques de matérias primas e componentes utilizados pela Fersol para produção de agrotóxicos e inseticidas, que correspondem a mais de 200 mil litros de produtos, estavam com os prazos de validade vencidos.

Em alguns casos, foram encontrados produtos vencidos desde 2007 complementa Álvares.

Devido às irregularidades encontradas, a Polícia Civil Especializada em Crimes Contra Saúde Pública do Estado de São Paulo prendeu o responsável técnico da fábrica. Do ponto de vista sanitário, as infrações encontradas podem ser penalizadas com a aplicação de multas de até R$1,5 milhão.

Clorpirifós
Clorpirifós integra o grupo químico dos organofosforados, que geram alto risco à saúde e que podem levar a problemas no sistema nervoso e a déficits de função cognitiva. Em 2004, a Anvisa reavaliou o Clorpirifós e concluiu que as intoxicações causadas pelo referido ingrediente ativo podem provocar distúrbios cerebrais e no desenvolvimento de crianças.

No mesmo ano, a Agência proibiu o uso de inseticidas de uso doméstico e coletivos à base de Clorpirifós. Na época, a decisão foi tomada para evitar danos à saúde decorrentes da ação neurotóxica desses inseticidas.
Tags:
Fonte: Anvisa

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Sr. João Olivi, lendo este artigo . A minha preocupação como um CIDADÃO CO- MUM , é levada ao extremo pois, no texto ...... " – Em alguns casos, foram encontrados produtos vencidos desde 2007 – complementa Álvares. " . Não po- demos nos esquecer que nos encontramos em 2010 ..... FALAR MAIS PRÁ QUE ! ! ! . ..... " E VAMOS EM FRENTE ! ! ! "..

    0