Algodão deve bater recorde na safra 2010/11

Publicado em 22/03/2011 14:54 358 exibições
Os preços são os melhores já registrados nos últimos 140 anos, com a arroba custando em torno de R$ 120, contra os R$ 35 da safra passada. Em todo o país, o aumento da área plantada com a cultura foi de 56% desde 2009, o que alimenta as estimativas de uma safra recorde em 2010/11, da ordem de 1,95 milhão de toneladas. No oeste da Bahia, por exemplo, a área ocupada pela cultura é 48% maior que em 2009/10, com 362,7 mil hectares. A produção também deve disparar, com 58% de incremento estimado, num total de 587,6 mil toneladas de algodão em pluma neste ciclo.

Um dos destaques desta safra são as cultivares de algodão colorido desenvolvidas pela Embrapa, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A principal vantagem dessas variedades com relação às de algodão branco é o fato de serem mais valorizadas no mercado, além de reduzirem os custos da indústria e serem ecologicamente corretas, uma vez que dispensam as fases de preparo para tingimento, o que requer a utilização de produtos químicos. Além de reduzir o consumo de água e energia, o algodão colorido diminui a quantidade de efluentes a serem tratados.

As roupas produzidas com esse tipo de fibra são muito procuradas, principalmente por pessoas alérgicas a corantes e para uso por recém-nascidos. Quatro variedades coloridas desenvolvidas pela Embrapa Algodão (Campina Grande – PB) e comercializadas pelo Escritório da Embrapa Transferência de Tecnologia em Campina Grande se destacam para a produção na Região Nordeste: BRS Topázio, BRS Verde, RS Rubi e BRS Safira.

Lançada no ano passado, a BRS Topázio apresenta uma fibra de coloração uniforme, macia e resistente. Sua tonalidade marrom claro atende a demanda das pequenas indústrias que trabalham com algodão colorido, já que maioria das cultivares existentes são de tonalidade marrom escura. Com alto rendimento de fibra, 43.5% em média, em ensaios conduzidos no Nordeste, as características da Topázio superam as cultivares coloridas existentes até o momento, como a BRS Safira, e equiparam-se à cultivar BRS Araripe, de fibra branca, além de possuir rendimento de algodão em caroço superior às duas cultivares.

A BRS Rubi e a BRS Safira são bastante produtivas em condições de sequeiro, alcançando um rendimento médio de 1,8 t/ha e 1,9 t/ha de algodão em caroço e, em regime irrigado, com rendimento médio superior a 3,5 t/ha de algodão em caroço. Essas cultivares se diferenciam das demais de fibra marrom existentes no Brasil por apresentarem uma tonalidade marrom escura ou marrom avermelhada, sendo as primeiras cultivares no País com essa característica de cor da pluma. Já a BRS Verde tem potencial de rendimento de até 2.500 Kg/ha, em sequeiro, no Nordeste do Brasil, podendo ser cultivada também em regime irrigado.

Os interessados em conhecer essas e outras cultivares podem visitar o estande da Embrapa na Bahia Farm Show, que será realizada de 31 de maio a 4 de junho, em Luís Eduardo Magalhães (BA).

Tags:
Fonte:
Embrapa Algodão

1 comentário

  • José Carlos Velasco Goioere - PR

    O setor textil corre serio risco de um dos maiores empregadores do País, passar a ocupar lugar de destaque no ranking nacional como um dos setores q menos empregam no Brasil... Acho q merecemos mais respeito de nosso Governo... afinal somos brasileiros e trabalhadores e não chineses... tbm precisamos de materia prima em nosso Pais

    0