Com a proximidade da segunda quinzena do mês, negócios no mercado físico do boi gordo começam a mostrar lentidão

Publicado em 13/05/2020 17:19 e atualizado em 13/05/2020 17:50 1657 exibições
Outro fator que gera incerteza no mercado é o prolongamento do isolamento social para conter a disseminação do coronavírus

LOGO nalogo

As negociações no mercado físico do boi gordo começaram a ficar lentas em função da entrada da segunda quinzena do mês, que deixa a população com um menor poder aquisitivo. Outro fator que gera incerteza no mercado é o prolongamento do isolamento social para conter a disseminação do coronavírus.  

Segundo a consultoria Agrifatto, os frigoríficos que atendem o mercado de exportação seguem com as compras de matéria-prima aquecidas. “As indústrias que atendem o mercado externo continuam na ativa, com um ágio que pode varia de R$ 5 a 10/@ para animais que atendam os padrões exportação”, destaca.

De acordo com as informações da Informa Economics, o aumento da oferta de animais neste período de entressafra pode provocar novos ajustes negativos na arroba o que, no entanto, não deve ocorrer de forma generalizada no país. “Nas praças com maior representatividade das exportações, que seguem em ritmo aquecido, as cotações do gado gordo são sustentadas tanto pela firmeza dos preços internacionais de carne como pela desvalorização cambial”, apontou.

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o pecuarista do estado do Mato Grosso do Sul, Walter Magalhães, destacou que as condições climáticas seguem favorecendo os pastos e que os pecuaristas conseguem manter os animais por mais tempo. “As chuvas não estão com escassez e os pastos apresentam boa qualidade, mas tudo pode acontecer até meados de agosto”, afirma.

No aplicativo da AgroBrazil, ocorreu negócios na região de Catanduva/SP para o boi comum de R$ 200,00/@, à prazo com oito dias para pagar e com escala de abate para o dia 22 de maio. “O preço deste animal teve um prêmio de R$ 2,00 para o acabamento e R$ 3,00 por ser  acima dos 36 meses”, informou o aplicativo

Já no município de Corumbaíba/GO, o valor negociado para o animal com destino ao mercado interno foi de R$ 182,00/@, à vista e com data para o abate programado para o dia 15 de maio. O aplicativo informou que o animal será abatido no estado de São Paulo.

No caso do mercado futuro, as cotações finalizaram a sessão desta quarta-feira (13) em campo misto nos principais contratos negociados na Bolsa Brasileira (B3). O vencimento Maio/20 terminou o dia com uma valorização de 0,43% e precificado a R$ 198,90/@.

Por outro lado, o contrato de Junho/20 encerrou negociado a R$ 195,20/@ com uma queda de 0,41%. Já o mês de Julho/20 terminou o pregão com uma alta de 0,77% e está cotado a R$ 197,00. O Outubro/20 registrou uma desvalorização de 0,30% e terminou negociado a R$ 197,75/@.

Confira a entrevista completa:

>> No Mato Grosso do Sul, indústrias frigoríficas já preencheram as escalas de abate para o mês de maio

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta quarta-feira:

>> BOI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário